Capital paulista é rock. É São Paulo Trip!

•Setembro 22, 2017 • Deixe um Comentário

aerosmith.jpg

Se você é fã de rock e não conseguiu ir ao Rock in Rio, agora tem outra chance de assistir e ouvir de perto Aerosmith, Bon Jovi, Guns n’ Roses e The Who. Mas corra porque já está rolando: desde o dia 21, essas quatro bandas estão na capital paulista, onde se apresentam no São Paulo Trip. O festival vai acontecer até o dia 26 de setembro no Allianz Parque, no Estádio do Palmeiras.

def-leppard.jpg

No dia 21, a primeira edição do evento abriu com shows das bandas The Who, The Cult e Alter Bridge. Perdeu? Não ligue. Hoje, dia 23, tem mais. É quando Bon Jovi e The Kills se apresentam. Amanhã é a vez de Aerosmith e Def Leppard. O São Paulo Trip fecha no dia 26, com Guns n’ Roses e Alice Cooper. Imperdível para quem curte rock!

SERVIÇO 

São Paulo Trip 2017 – Allianz Parque, Estádio do Palmeiras, Rua Turiassu, 1.840, tel. (11) 3873-2111. Os portões abrem às 16h todos os dias. Preço: de R$150 a R$ 780. Informações: http://www.saopaulotrip.com.br

Anúncios

Para fazer a festa da garotada

•Setembro 7, 2017 • Deixe um Comentário

Emissário Submarino de Santos - Foto Wikipédia

Aproveitou o feriadão prolongado, reuniu a família e foi curtir Santos, no do Litoral Sul de São Paulo? Ou então, está pertinho da Baixada Santista e que fazer algo diferente? Então, aqui vai uma dica para você: durante o feriado, a prefeitura local está promovendo o Bonde Brincar, um programa divertido que vai entreter e fazer a alegria da criançada.

Bonde em Santos - Foto - Isabela Carrari

O trajeto é todo animado pelo personagem Cara de Papel, uma criação do artista Daniel Meirelis. Além de muitas brincadeiras, o Cara de Papel interage com a garotada, passando ainda mensagens de incentivo à sustentabilidade, cidadania e boas práticas na convivência do dia a dia.

Bonde Brincar - abre - Raimundo Rosa

Neste sábado, dia 9, os passeios acontecem das 11h30 às 15h30, de hora em hora. A saída é da Praça Mauá. Os baixinhos que estiverem na Praça Mauá também vão curtir o Baú da Gibiteca, com muitos gibis e desenhos para colorir.

Se gostou da ideia, os ingressos para os passeios do Bonde Brincar podem ser adquiridos na bilheteria do Museu Pelé (Largo Marquês de Monte Alegre, 1, Valongo), das 11 às 16 horas. Os ingressos custam o valor da meia entrada: R$ 3,50. Cada passeio está limitado a 36 lugares e crianças até 5 anos não pagam, desde que viajem no colo.

Monte Verde, um roteiro de delícias

•Setembro 4, 2017 • Deixe um Comentário

Em meio à Serra da Mantiqueira, a estância climática mineira é repleta de belezas naturais e de irresistíveis tentações gastronômicas.

Monte Verde - romantismo

Fim de tarde no bucólico vilarejo. Foto: Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

Já se imaginou em uma vilinha com apenas uma avenida principal, ruas transversais de terra e, ainda assim, ter atividades para desvendar e fazer por pelo menos uma semana? Pois, esse lugar existe e fica no sudoeste de Minas Gerais, a menos de 170 km de São Paulo. Seu nome? Monte Verde, um gracioso distrito de Camanducaia, com menos de sete mil habitantes.

Araucárias em Monte Verde-Turismo-SA.jpg

O distrito é repleto de araucárias. Foto: Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

Abraçada pela Serra da Mantiqueira e pelo o ar puro das montanhas, Monte Verde é uma miniatura da concorrida Campos do Jordão, em São Paulo. É permeada por araucárias, pinheiros, cedros, carvalhos, ipês e multicoloridas espécies de flores. É ainda conhecida pelo clima frio e baixas temperaturas. Não à toa.

Termômetro marca 3 graus negativos em Monte-Verde - Foto AHPMV

Baixas temperaturas são comuns ali. Foto: Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

Situada a quase 1.600 m de altitude, em um dos pontos mais altos da Mantiqueira, registra no Inverno temperaturas de até menos 4º C, com bucólicas geadas. O frio, porém, imprime um charme a mais à vila, que se torna em um point de desfile de gente bonita e de casais que buscam momentos de romantismo. E são muitos.

Resort Magnífico - Foto Reginaldo Pupo - Agênia Newsfacto.jpg

Recém-inaugurado, o Resort Magnífico é cercado pela exuberante natureza  da Serra da Mantiqueira mineira. Foto: Reginaldo Pupo/Agênia Newsfacto

Basta ver que, embora pequenina, a estância abriga aproximadamente 300 hotéis, pousadas e chalés, a maioria deles com direito a hidromassagem, lareira e, é claro, a muita natureza. Fundada pelo letão Verner Grinberg, Monte Verde teve seu nome inspirado no significado do sobrenome dessa família – grin, verde, e berg, monte.

Foto por AHPMV

A movimentada Avenida Monte Verde. FotoAssociação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

Pelas características de seu clima frio, também foi colonizada por outros imigrantes vindos da Europa. Eles viam naquele pedacinho de terra características comuns às de seus países de origem. Foi assim que, além dos letões, o distrito mineiro atraiu alemães, suíços, húngaros, austríacos e italianos…

Eles foram chegando a partir da primeira década do século 19. Se instalaram e imprimiram o ar europeu que se respira em Monte Verde. Andar pelas ruas do vilarejo – inclusive as de terra – é testemunhar parte deste significativo passado do País, desvendando construções concebidas segundo a estética da arquitetura europeia.

Foto por Demétrio César Xavier

Algumas casas em estilo europeu do distrito. Foto: Demétrio César Xavier

É delicioso. E também bastante pitoresco. Letões, alemães, húngaros? No Sul do País, normal. Mas, em Minas, quem imaginaria? Mas, as provas estão lá. Incontestáveis. São dezenas de restaurantes que têm o Eisbein, prato alemão à base de joelho de porco, como carro-chefe. Para acompanhar, a cerveja artesanal produzida nos moldes da alemã – abriga inclusive uma fábrica da bebida, a Arsenal da Cerveja.

Sabor de chocolate

Nada melhor para espantar o frio do que um chocolate quentinho. Foto: Divulgação 

De sobremesa, não falta nas elegantes casas de chá e chocolatarias da estância o Apfelstrudel (strudel), a torta de maça cuja receita é atribuída aos alemães, mas que acredita-se ter sido inventada pelos austríacos. Pelo distrito espalham-se ainda restaurantes e cantinas que servem o melhor da gastronomia italiana e portuguesa.

Em terra de águas frias também não faltam as trutas. E elas surgem nos cardápios dos restaurantes em diferentes versões: grelhadas, assadas e em filés, com os mais variados acompanhamentos. São servidas também com exóticos molhos, como os de amêndoas, de alcaparras e até os que levam queijos e aveia.

Um dos trutários do restaurante Paulo das Trutas

Um dos trutários do restaurante Paulo das Trutas. Foto: Divulgação

Os costumes trazidos pelos primeiros moradores, a família Grinberg, e demais imigrantes europeus estão impressos nas ruas e na área rural de Monte Verde. Mas nelas também estão fortemente presentes o “jeitim” mineiro de receber os visitantes, com simpatia e hospitalidade sem limites.

Em qualquer uma de suas lojas de doces caseiros, compotas e geleias, queijos, embutidos e vinhos, mortal algum do planeta vai embora se não provar um “tiquim”, ter um “dedim” de prosa e receber um acolhedor sorriso. A mesma cena se repete no alambique da estância, a Destilaria Monte Verde.

Em todos os cantinhos do distrito, porém, são oferecidas opções para diferentes paladares, incluindo para quem aprecia a culinária mineira. Na Avenida Monte Verde, principal da vila e onde se concentra o comércio, também se multiplicam as chocolatarias, que servem desde sofisticadas bebidas preparadas à base de cacau até artesanais trufas, bombons, tabletes e chocolates dietéticos.

Esquilos podem ser vistos comumente em Monte Verde.jpg

Esquilos, os ilustres moradores de Monte Verde. Foto: Companha 4 x 4

É impossível controlar a balança neste sedutor vilarejo e não saborear suas delícias. Para quem tenta, uma dica para gastar as calorias adquiridas: Monte Verde tem diversas agências que oferecem passeios de cavalo, bike, jipe, quadriciclo e caminhadas pela Mantiqueira, além de aventuras radicais e de patinação no gelo. Mas isso é assunto para o próximo capítulo. Até já!

SERVIÇO

Arsenal da Cerveja – Comercializa mais de 200 rótulos, entre cervejas artesanais, nacionais e importadas. Galeria suíça, Av. Monte Verde, 858, loja 4, tel. (35) 3438-1697.

Destilaria Monte Verde – Rua Urano com a Rua do Mato Grosso, destilariamonteverde.com.br.

Ristotanti Di Venetto – Além dos risotos, massas, berinjelas e demais pratos inspirados na gastronomia da região italiana de Veneto, a casa oferece uma das vistas mais bonitas das montanhas de Monte Verde – está situada em um dos pontos mais altos da estância, bem pertinho do aeroporto local, considerado o mais alto do Brasil, a 1.560 m de altitude. Rua do Aeroporto, 740, tel. (35) 3438-2606, divenetto.com.br.

Restaurante Armazem - Monte Verde.jpg

Restaurante Armazém: atendimento impecável e ambiente acolhedor. Foto: Reginaldo Pupo

Armazém Monte Verde Restaurante – Com aquecedores internos e externos, a casa de caprichada decoração oferece rodízio de fondues, além de pratos inspirados nas cozinhas alemã, italiana e mineira. Entre as tentações, sopas e cremes, como o caldo verde no pão italiano, e carnes, como a Picanha Mineira, servida com arroz, tutu de feijão, mandioca e couve. O cardápio inclui ainda receitas preparadas com aves, peixes e frutos do mar.

Comida Mineira do Armazém Monte Verde - Foto Divulgação

Comida mineira é um dos destaques do Armazém Monte Verde Restaurante. Foto: Divulgação

Na entrada, pães caseiros servidos com três tipos de patês e manteiga. Ou, a linguiça recheada com provolone, acompanhada por farofa, vinagrete e mostarda alemã. Nos fins de semana, feriados e na temporada de Inverno, é embalada por música ao vivo. Av. Monte Verde, 760, tel. (35) 3438-2009, armazemonteverde.com.br.

Restaurante Trás os Montes – A comida portuguesa dá o tom desta aconchegante casa, cujo menu   exibe pratos como o Bacalhau à Portuguesa, alheiras e diferentes opções de peixes e frutos do mar. Av. Monte Verde, 845, piso superior, tel. (35) 3438-1699, facebook.com/trasosmontesrestaurante.

Foto por Divulgação/ Agência Facto

Prato servido no Restaurante Trás os Montes. Foto: Agência Newsfacto

Restaurante Marcius – Fundado em 1994, tem cardápio variado integrado por saladas, sopas, massas, aves, trutas, picanhas e filés preparados de diferentes maneiras, além de pratos tipicamente mineiros e fondues. Av. Monte Verde, 847, tel. (35) 3438-1508, marciusrestaurante.com.br.

Fondue - Restaurante Marcius

Fondue do Restaurante Marcius. Foto: Divulgação

Paulo das Trutas – Tem um trutário, onde “pesca” os peixes servidos em seus dois endereços: o restaurante da Rua da Floresta, 810, onde faz a criação de trutas. A outra casa funciona na Av. das Montanhas, 120. Site paulodastrutas.com.br.

Chocolate Montanhês – É uma extensão da de Campos de Jordão (SP), onde a marca nasceu. Seu chocolate quente recentemente ganhou o prêmio da Veja São Paulo como o melhor da região. Av. Monte Verde, 969, loja B, tel. (35) 3438-1782, chocolatemontanhes.com.br.

Fábrica Sabor de Chocolate - Foto Randim Rodrigues

Entrada da Fábrica Sabor de Chocolate – Foto Randim Rodrigues

Fábrica Sabor de Chocolate – É ponto de parada de alguns tours feitos no distrito. Com funcionários atenciosos, comercializa gulodices artesanais feitas à base de cacau na loja/cafeteria que funciona em seu interior. Rua da Chácara, tel. (35) 3438-2064, facebook.com/pages/Sabor-Chocolate-Fabrica-Monte-Verde-MG

Galeria de arte

Obras se espalham nos jardins da galeria de arte. Foto : Companhia de passeios 4 x 4 

Ateliê Unger’s Pottery House – A galeria também faz parte dos tours oferecidos pelas agências locais.  Obras de arte e totens de Paula Unger podem ser vistos nos jardins da linda propriedade. No interior também estão expostas peças de cerâmica, esculturas e pinturas de artistas brasileiros. Rua da Represa, 1.307, tel. (35) 3438-1470, paulaunger.blogspot.com.

Mirante do aeroporto – É outra parada que integra o city tour das agências locais. A estrada que passa ao lado do aeroporto oferece uma vista cênica da estância, com direito a admirar as casas em estilo europeu e as montanhas da Mantiqueira.

Monte Verde .jpg

Ar  puro das montanhas  e cenas cinematográficas fazem parte do cotidiano do vilarejo de Minas Gerais. Foto: Companhia de Passeios 4 x 4

Como chegar

De São Paulo a Monte Verde: siga em direção a Guarulhos (SP) pela Via Dutra. Na altura do km 13, entre na Rodovia Fernão Dias até Camanducaia.

Saindo do Rio de Janeiro: pegue a Via Dutra até Jacareí (SP), entre na Rodovia D. Pedro I. Em Atibaia (SP), entre à direita na Rodovia Fernão Dias, continuando até Camanducaia.

De Belo Horizonte (MG) para Monte Verde: saída pela Avenida Amazonas, sentido São Paulo, até Camanducaia.

Embora não tenha uma rodoviária, o transporte público é uma alternativa para quem quer ir até Monte Verde. Existem linhas diretas entre São Paulo e Camanducaia, em um percurso de pouco mais de duas horas. De Camanducaia ao distrito, há sete horários disponíveis durante o dia, com a duração da viagem estimada em 50 minutos.

A jornalista viajou a Monte Verde a convite do Resort Magnífico e da Agência Newsfacto.

 

Bragança Paulista promove a sétima edição da Festa da Linguiça

•Setembro 1, 2017 • Deixe um Comentário

No próximo fim de semana, a cidade do Interior de São Paulo recebe a sétima do evento, uma iniciativa que reúne num só lugar dezenas de barraquinhas onde os expositores mostram as suas tradicionais receitas e os seus lançamentos.

Braganca Paulista - São  Paulo - Turismo.jpg

Gosta de novidades? De comer bem? Anote: de 6 a 10 de setembro, a cidade de Bragança Paulista, estância climática paulista situada a menos de duas horas de São Paulo e quase na divisa com Minas Gerais, promove a sétima edição da Festa da Linguiça, reunindo em  os principais produtores da cidade.

Antes de ir, é bom saber que Bragança Paulista também é conhecida como a Capital Nacional da Linguiça. Não à toa. Reúne mais de uma dezena de fabricantes do embutido. Ao lado de suas famílias, eles produzem artesanalmente a linguiça a partir de receitas que são passadas de geração para geração.

Linguiça com azeitonas

A fama do petisco temperado e feito à base de carne e de gordura de porco é tanta que o setor movimenta não só a economia bragantina como a de toda a região.  O segmento também representa uma opção de lazer para os moradores e para os visitantes. E um dos motivos disso é a Festa da Linguiça, que também já é outra marca registrada da cidade.

Local do Evento - barracas dos produtores.jpg

O evento acontece no parque de exposições Dr. Fernando Costa, mais conhecido como Posto de Monta. Este ano, terá a participação de dez produtores de linguiças. Além de expor os diversos tipos e sabores da iguaria, eles vão apresentar aos visitantes pratos diferenciados e mostrar que a linguiça bragantina pode ser usada na culinária de formas inusitadas, não se limitando ao formato petisco, lanche com vinagrete ou churrasco.

Escondinho de Linguiça.jpg

Uma das novidades desta edição será o lançamento da linguiça vegetariana à base de soja. A receita feita com a proteína vegetal inclui todos os temperos e as especiarias usadas na produção das linguiças tradicionais, como coentro e louro. Na feira também serão lançadas uma versão que simula uma calabresa bem apimentada, outra com cogumelos e uma bem fininha para ser usada em lanches chamados “Not Dog”.

vegetariana 1 (002)

Estas linguiças podem ser usadas nas mais variadas receitas, desde escondidinho, empanado, pastel e pizza até como petisco com anéis de cebola, assadas em grelha e  no feijão preto. São 100% artesanais feitas de um dia para o outro e o sabor e a textura são semelhantes à linguiça de origem animal.

A massa é envolvida em um involucro de poliéster ou um material feito com fibras de madeira, que não é comestível, serve apenas para manter a forma da linguiça e antes do preparo deve ser retirada. A novidade poderá ser saboreada na barraca da Colonial de Bragança.

Entre os expositores já confirmados, La Bragantina, Linguiçaria do Rosário, Colonial de Bragança, Original de Bragança, Center Carnes Kente, Linguiçaria Bragança, KiAssados, Autêntica, Real de Bragança e Nova Vicchi. Segundo a organização, o público poderá saborear mais de 20 tipos de linguiça. Entre eles, as recheadas com damasco e pimenta biquinho. Impossível resistir!

Local da Festa da Linguiça (002).jpg

SERVIÇO

7ª Festa da Linguiça de Bragança Paulista – de 6 a 10 de setembro de 2017, das 10 às 22 horas. Entrada Gratuita.

Parque de Exposições Dr. Fernando Costa (Posto Monta) – Av. Dr. Fernando Costa, s/nº, Bragança Paulista

Estacionamento no local e pago à parte

Informações: (11) 2473-1463, www.festadalinguica.com.br

 

Negril, um cantinho mágico da Jamaica

•Agosto 25, 2017 • Deixe um Comentário

Situada na ponta ocidental da ilha, a cidade banhada pelo turquesa do Mar do Caribe é conhecida por sua beleza natural e águas azulzinhas repletas de recifes de corais.

Sunset at the Palms Resort - Negril, Jamaica

Terra do reggae e de Bob Marley, a Jamaica é um pedacinho mágico da América Central. Banhada pelo turquesa do Mar do Caribe, a ilha abriga praias cinematográficas, tingidas por areias ora douradas, ora branquinhas e por centenas e centenárias palmeiras. Em qualquer um de seus metros quadrados, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, belezas atrás de incontáveis belezas desfilam diante do olhar.

A principal porta de entrada a elas é Kingston, a capital do país, onde chegam aviões de todos os cantos do planeta. É basicamente por esse acesso que se chega a Negril, cidade à beira-mar localizada na ponta ocidental da ilha. Balneário conhecido por sua beleza natural e águas translúcidas repletas de recifes de corais, é dono de praias de areia de açúcar e de um hipnotizante pôr de sol que imprime ao céu múltiplos tons de laranja e violeta – os nativos asseguram que é o mais bonito da Jamaica.

Kingston - Casa de Bob Marley.jpg

Mas, antes de conhecer essa pulsante cidade habitada por gente alegre, coloridos drinques, excelente gastronomia, animadas baladas e muito reggae, é preciso saber como chegar até lá. Negril está distante cerca de 240 km de Kingston. Então, as opções a partir da capital jamaicana são alugar um carro, contratar um transfer ou ir em uma excursão.Típica  praia da Jamaica - Foto Max Pixel.jpg

Também é possível chegar a partir do Aeroporto Internacional Sangster em Montego Bay, distante a uns 90 km. Depois, embarcar em um transfer de aproximadamente uma hora e meia. O serviço pode ser contratado em empresas como a Jamaica Union of Travellers Association, Paradise Travels e a Jamaica Cooperative Automobile Limousine Tours. Alguns hotéis também oferecem transfer do aeroporto.

Praia de Negril - Jamaica - Foto Max Pixel.jpg

Antes de ir, porém, é preciso encontrar um lugar para ficar. Não faltam opções de hospedagem em Negril. Simpáticos albergues e hotéis mais em conta se multiplicam pela cidade. Mas há opções para todos os bolsos, desde resorts em sistema all inclusive – que estão tipicamente situados no lado extremo norte, até os hotéis butique que ficam mais ao sul. O Azul Sensatori Jamaica e o The Cliff são alguns deles.

slide-5

O primeiro fica na Praia de Seven Mile. Tem 285 suítes com vista para o mar, sete piscinas, nove restaurantes, bares e SPA. Oferece ainda programas supervisionados para entreter crianças e adolescentes e diversas atividades para serem feitas na ilha ou nas águas cristalinas da região.Junior-Suite-Bedroom.jpg

Já o segundo tem uma vista panorâmica de jardins tropicais e águas de azul profundo, além de cadeias de corais e penhascos feitos de calcário localizados em uma área com vista para o Mar do Caribe.  Possui 22 suítes e quatro vilas privativas.  É pequeno o suficiente para ser intimista, mas grande o bastante para proporcionar todos os amenities cinco estrelas de um resort de luxo.

the-caves-resort - Divulgação.jpg

Também o The Caves fica de frente para o mar, sendo que suas 12 acomodações estão distribuídas pelos penhascos de Negril. O resort abriga ainda uma caverna privativa para jantar, o The Blackwell Rum Bar e o Aveda Amenity SPA. Por sua vez, o Sunset at the Palms Resort está aninhado entre jardins tropicais, plantas e flores. Disponibiliza 85 quartos e suítes elegantes ao melhor estilo casa na árvore.

Sunset at the Palms Resort.jpg

Para quem gosta de mordomia, o Royalton Negril Resort & SPA é o endereço. Suas 407 luxuosas suítes seguem o moderno conceito All-In Luxury™, oferecendo mimos top, como a cama premium feita à mão e um sistema de jantar de luxo que não precisa fazer reserva. Conta ainda com um serviço de concierge 24 horas e sete dias por semana e o All-In Connectivity™, com wi-fi gratuito e ligações de longa distância a partir dos quartos.Royalton Resorts Jamaica

Depois que chegar a Negril, saiba que há muito o que fazer lá. A própria tradução do nome da cidade já é uma dica. Ele é uma versão abreviada de “negrillo” que significa pequenos negros, como foi batizada pelos espanhóis em 1494. O motivo? São dois: o primeiro, os penhascos negros ao sul da vila. O segundo, a enorme quantidade de enguias negras que “passeiam” ao longo de sua costa. Dá para imaginar o que te espera?

Sunset at the Palms Resort em Negril - Jamaica1

Superlativo – É impossível pensar no Caribe sem mencionar as suas cênicas praias. Então, saiba que a de Negril foi considerada uma das dez melhores do mundo. É ideal para passar horas e horas simplesmente tomando um sol, num dolce fair niente. Se o negócio é conciliar a natureza ao agito, a opção é a Praia de Seven Mile Beach, uma atração mundialmente conhecida da cidade.

Suvenires da Jamaica - Foto Max Pixel.jpg

Com 12 km de areia branquinha e águas serenas, a praia mais parece com uma lagoa. É ainda o paraíso para a prática de mergulho e de esportes náuticos. Em contrapartida, em suas areias multiplicam-se ambulantes. Eles vendem de tudo, de artesanato e suvenires em amarelo, vermelho e verde (as cores  da bandeira  da  Jamaica) a ganja, como chamam a maconha. À noite se transforma em palco de românticas caminhadas.

Beach Dog Drunk Jamaica Beer Sunset

Se você está disposto a fazer um roteiro além das praias, saiba que Negril tem muitas outras paisagens superlativas a serem exploradas. Anote. Um dos pontos altos da cidade é Bloody Bay. Baía de águas calmas, areia branquinha e vegetação preservada, é um dos postais da Jamaica. Dedique ainda um tempo para curtir a Blue Hole Mineral Spring, uma reserva mineral que fica em uma abertura cavernosa em um terreno rústico.

Ilha de Blood Bay - Foto - Passaporte a ... - Iberostar

Completamente envolta em calcário, a caverna é perfeita para você desfrutar de um relaxante banho mineral em um genuíno “buraco azul”. Os minerais são liberados naturalmente do calcário (conhecido por ter um alto valor terapêutico) e agem como um filtro subterrâneo para equilibrar o afloramento da fonte de água.

Mayfield Falls Divulgação.jpg

Lugar cenográfico onde também dá para relaxar em águas doces é a Mayfield Falls, com suas cavernas, cachoeiras, 44 piscinas minerais e 21 jacuzzis naturais. Ela fica no coração do Westmoreland, um dos mais longos rios da Jamaica, onde você pode caminhar enquanto observa as plantas exóticas, os pássaros, as borboletas e outras espécies da vida selvagem que ali moram.

jamaica-get-away-travels-horseriding-in-sea

Vale a pena conhecer também Rhodes Hall Plantation, distante 13 km a leste de Negril. Nesta propriedade histórica jamaicana, instalada em uma praia privada, você pode embarcar em um tour pela fazenda, andar a cavalo e explorar a reserva de mangues e crocodilos, terminando o passeio com um mergulho no mar. Essas são apenas algumas opções. Mas há diversão para todos os estilos.

Se você, por exemplo, quer um pouco de romance, vá até Whitehall Great House, onde são feitas caminhadas ou cavalgadas pelas ruínas. Se preferir, faça um passeio de barco rumo à remota Booby Cay, que fica fora de Negril. Nesta pequenina ilha, você pode observar uma rara espécie de patola de patas azuis, um pássaro típico da região que ali choca seus ovos.

Booby Cay em Negril - Jamaica.jpg

Booby Cay serviu de palco para muitas das cenas do filme da Disney “20.000 Léguas Submarinas”. Com águas azul-esverdeadas pontilhadas por multicoloridos recifes de corais, é perfeita para piqueniques, natação e mergulhos com snorkel, sobretudo se você gosta de testemunhar a vibrante diversidade da vida marinha, aqui em abundância.

Se você está em busca de adrenalina e aventura, Negril oferece parasailing, rafting, mountain bike, passeios de caiaque no mar, windsurfe e muito mais. Várias agências comercializam esses e outros passeios, incluindo alguns pelo interior da ilha. Um bem interessante, especialmente se você gosta de aprender um pouco mais sobre o lugar onde está, é o city tour pela cidade. Durante o trajeto, um guia explica sobre a cultura rastafári, mostrando ainda os lugares históricos da cidade, como o seu farol centenário.

Pão e poesia – Negril é famosa pela badalada vida noturna – é considerada uma das melhores, mais variadas e intensas de todo o Caribe. Por isso, é bom levar roupas para curtir a noite. Depois, é só escolher um endereço se deixar embalar pelas batidas de reggae. O Ricks’Café é um deles.  Eleita pelo canal de viagens Travel Channel como um dos melhores bares do Caribe, a casa já foi destruída por dois furacões e permanece como um dos points de agito mais animados e concorridos.

Agito em Negril.jpg

O Ricks’Café também funciona durante o dia. Como está acomodado em um penhasco, é um ponto de encontro dos mais aventureiros que ali pulam de uma falésia para nadar nas azulzinhas águas caribenhas. Se você é menos radical, aproveite para experimentar os drinques e as comidinhas tipicamente jamaicanos, testemunhando o inenarrável pôr do sol. Este, aliás, é o melhor ponto de observação da cidade.

Ricks’Café em Negril.jpg

Não faltam ao menu desta ilha de absoluto encanto e poesia, além de seus cobiçados rum, cerveja e café, a simpatia e hospitalidade de sua gente. Também a comida creole jamaicana é instigante. É integrada por churrascos de frango (jerk chicken) e de carne e porco (conhecidos como jerk beef), marinados em um molho agridoce apimentado e assados em baixa temperatura.

Jerk - Comida Típica da Jamaica. - Foto inesquecivelcasamente.jpg

Os peixes e frutos do mar fresquinhos são outros ingredientes obrigatórios da gastronomia do país. Eles surgem em diferentes versões: assados na brasa, cozidos no vapor, fritos e em ensopados. Com molhos ou não. Completam o cardápio da ilha caribenha os meat patties (pastéis de carne) e o bammy, tortas de mandioca.

Agora que você já aprendeu um pouco sobre a gastronomia creole, que tal experimentar? Algumas sugestões: no Murphy’s West End Restaurant, um restaurante de beira de estrada comandado por uma família em West End Road, você pode saborear um jerk de frango ou uma marinada de frutos do mar frescos com uma variedade de temperos especiais, entre outras opções.

Frango - Foto - Jamaicaexperience.com.br.jpg

Aproveite, antes ou depois de comer, para fazer o tour pela propriedade, conhecendo as árvores com frutas exóticas e a sua churrasqueira de bafo no quintal dos fundos. Ainda em West End Road, o Pushcart Restaurant & Rum Bar é um bom endereço, principalmente se você não quer se despedir de Negril sem saborear a riqueza da comida de rua jamaicana. Com muita cor e música, ali, ao ar livre, você também pode desfrutar de uma privilegiada e completa visão da ilha.

Quer se aventurar por outras terras tendo como companhia de uma deslumbrante vista do Mar do Caribe? Vá ao Ciao Jamaica. Localizado nas falésias de Negril, em West End Road, a casa oferece uma fusão da cozinha italiana e jamaicana. Em seu menu constam pratos como o Rasta Pasta, o Jerk Alfredo de Frango, o Reggae Lasanha, o Camarão Scampi, a Lagosta Grelhada e o Peixe Pargo Limone.

fun-times.jpg

É vegano? Vegetariano? Não come carne vermelha? A dica é o Zimbali Retreat, na Montanha Caanan, em Westmoreland. Antes, porém, faça a reserva. O restaurante serve as comidas sempre frescas, com ingredientes cultivados localmente. É especializado em frango, peixe, moluscos e lagosta (não serve nenhum tipo de carne vermelha), além de disponibilizar opções vegetarianas e veganas. A casa conta ainda com o transporte ida e volta a partir de qualquer ponto de Negril que o visitante esteja.

Orgulho nacional – O rum é um patrimônio nacional. Com produção concentrada em Appleton, onde funcionam muitas fábricas, o destilado feito a partir de cana-de-açúcar (da garapa ou do melaço) pode ser saboreado puro ou em coquetéis, como o daiquiri, o mojito, a cuba libre e a piña colada. Entre os principais rótulos estão o Appleton, Myers’s e Wray and Nephew, encontrados tanto em supermercados como na loja tax-free do aeroporto.

Rum.jpg

Também as cervejas são motivo de orgulho na ilha. A mais famosa é a Red Stripe, uma pale larger que começou a ser fabricada em 1938, a partir de uma receita de Paul H. Cottler e Bill Martindale. Outras marcas igualmente conceituadas são a Red Stripe Light, a Dragon Stout e a Malta, uma cerveja sem álcool.

Tão importante quanto o rum e a cerveja é o café jamaicano. Dizer que o Blue Mountain é o melhor café do mundo é pleonasmo. De aroma forte e intenso, tem um sabor que se demora sobre as papilas gustativas. O verdadeiro – na ilha há outros semelhantes – é cultivado em altitude, em zonas demarcadas das Blue Mountains, onde o clima fresco e úmido, com boa pluviosidade, contribui para a qualidade do café.

Café jamaicano - Foto Max Pixel.jpg

Apenas seis mil hectares produzem o Blue Mountain, o que permite compreender o elevado preço que atinge no mercado – é o café mais caro do mundo. Outras zonas demarcadas, as cotas mais baixas, dão origem ao High Mountain Supreme e ao Prime Washed Jamaican.

Sky Paradise Sun Of Jamaica Sun Caribbean Sunset

Passando da mesa à despedida, tenha a certeza de que, independentemente do que você for fazer ou procurar em Negril, essa sedutora cidade da Jamaica vai te proporcionará boa comida, preços justos, muita dança e música, novos amigos e boas risadas. Sobretudo – e o principal –, excelentes recordações e eternas saudades.

 

SERVIÇO

Língua: Inglês

Moeda: Dólar jamaicano

Visto: Não é necessário

Saúde: Exige certificado internacional de vacinação contra febre amarela.

Fuso horário: – 2h (horário de Brasília), ou de – 3h se for no horário de verão do Brasil.

Embaixada oficial no Brasil: Av. Rio Branco, 99, Centro, Rio de Janeiro (RJ), tel. 55 (21) 2122-8464. Consulado www.consuladodajamaica.com.br

Para conhecer mais sobre Negril e obter mais informações e dicas sobre o que fazer na Jamaica, consulte o site oficial do país (www.visitjamaica.com) e o portal turístico VisitJamaica (www.cabinet.gov.jm).

Clima – A Jamaica tem clima estável, com sol quase o ano todo e poucas variações de temperatura – tanto a do ar como a da água do mar mantêm-se entre 25º C e 30º C.

Quando ir – De dezembro a abril, a ilha é invadida por turistas norte-americanos, enquanto no período de julho a agosto é a vez dos europeus. Nestes meses, é grande a ocupação das unidades hoteleiras. Portanto, cuidado com a reserva. Já maio e junho são meses mais calmos, assim como o período de setembro a novembro, embora neste último a Jamaica possa ser visitada por furacões, normalmente breves e inofensivos.

Como chegar – Não há voos diretos do Brasil para a Jamaica. Para chegar em Kingston, é preciso fazer conexões no Panamá, pela Copa Airlines, ou nos Estados Unidos, pela American Airlines. A Air Jamaica (caribbean-airlines.com) possui conexões com Nassau (Bahamas) e Miami e Orlando (Estados Unidos) para Montego Bay e Kingston.

Resort Magnífico, poesia e luxo num só lugar

•Agosto 23, 2017 • Deixe um Comentário

Em meio à Serra da Mantiqueira, o empreendimento situado em Monte Verde, no sudoeste de Minas Gerais, oferece bucólicas paisagens, um café de manhã para ninguém botar defeito e serviços inéditos.

Resort Magnífico - Abre - Foto Reginaldo Pupo - Angência Facto

Você é uma daquelas pessoas que adora viajar sempre que pode? Então, aqui vai uma sugestão: vá conhecer o Resort Magnifico, na mineira Monte Verde, distrito de Camanducaia, distante 167 km de São Paulo. Abraçado pela Serra da Mantiqueira, o empreendimento possui dez unidades habitacionais, entre suítes, chalés e cabanas.  Elas estão espalhadas em uma área de 9 mil metros quadrados, de muito verde e ar puro da montanha.

Portal de Monte Verde - Minas Gerais - Brasil - Foto Wikimedia.jpg

E é claro que aqui neste cantinho do mundo onde o Estado de São Paulo se encontra com o de Minas Gerais a natureza é impecável. Mas, além da hipnotizante exuberância da Serra da Mantiqueira, outra coisa bem legal deste bucólico lugarejo de cerca de sete mil habitantes e abrigado a quase 1.600 metros acima do nível do mar, é o conceito inovador que Resort Magnifico criou e está implantando.

Resort Magnífico - Foto Mathus M. L. Santos - Angência Facto

Inaugurado há pouco mais de dois meses, oferece serviços inéditos e diferenciados aos hóspedes, tendo como proposta ser uma opção de hospedagem de luxo acessível, com tarifas mais atrativas. Os mimos já começam logo na reserva, quando o empreendimento fornece um número de celular ao hóspede. Com isso, ele passa a se comunicar com um mordomo (entenda-se um dos funcionários).

Durante toda a sua estadia, o mordomo ficará à sua disposição 24 horas por dia, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. Antes de chegar ao resort, o serviço já pode ser acessado. Por intermédio dele, o hospede pode avisar o momento de sua chegada ao portal de entrada de Monte Verde. O mordomo irá buscá-lo no local em um Porsche Cayenne, conduzindo-o ao resort, onde será recebido com taças de espumante.

Suíte do Resort Magnifíco - Foto Mateheus M. L. Santos - Angência Facto

Ao contrário dos estabelecimentos tradicionais, o empreendimento serve o café da manhã na acomodação até às 15 horas, dispensando o hóspede de ter de acordar cedo, se trocar e ir até o restaurante para fazer sua refeição matinal. Para isso, basta agendar o horário com o mordomo e aguardar o café ser pontualmente servido na hora marcada.

Na bandeja das tentações, suco de laranja, frutas, café, leite, chá, pães, biscoitos, bolo, geleia, requeijão, manteiga e doce de leite. O farto café servido até metade da tarde tem ainda a vantagem de dar ao hóspede mais dorminhoco a possibilidade de ir almoçar (entenda-se jantar) em um dos muitos restaurares que se distribuem pela avenida principal do distrito. Ou não! Afinal, é comida que não acaba mais. E haja apetite!

Café da manhã no quarto - Foto Reginaldo Pupo - Angência Facto.jpg

Idealizado para casais, o resort – por enquanto, ainda uma pousada de charme – tem opções de acomodação para todos os gostos, desde aconchegantes cabanas até chalés com varanda e hidromassagem com vista para a Serra da Mantiqueira e com piso aquecido. Em todas, lareira convencional e lareira digital, tevê 4k com canais por assinatura e Netflix liberada, além de internet wi-fi gratuita.

As mordomias não terminam por aí. As acomodações estão equipadas com camas queen-size, roupa de cama e banho italiano Trussardi e secador de cabelo, sendo que algumas delas contam ainda com frigobar, micro-ondas, pia de cozinha e fogão. Os talheres à disposição das suítes são folheados a ouro. Independentemente da opção escolhida, o hóspede tem um estacionamento à sua disposição.

Cabana do Resort Magnifíco - Foto Reginaldo Pupo - Angência Facto.jpg

Apesar de ter aberto suas portas há pouco tempo, o resort já está sendo ampliado. A ideia é inaugurar outras dez unidades habitacionais até o final deste ano. Já a piscina climatizada, o fitness e o restaurante estão previstos para estarem concluídos até junho de 2018. Também a construção de um heliporto faz parte dos planos futuros do empreendimento.

Recepção do Resort Magnifico - Monte Verde (MG) - Foto Reginaldo Pupo - Angência Facto.jpg

Enquanto isso não acontece, que tal aproveitar um fim de semana e ir conhecer o Resort Magnifico? Além dos mimos, a região onde está instalado é conhecida pelas baixas temperaturas (é um dos lugares mais altos do Brasil) e pela caprichada arquitetura em estilo europeu, herança da origem de seus fundadores, vindos da Letônia. Sem falar que nada é mais delicioso do que ter um “tiquim” de prosa com os mineiros.

SERVIÇO

Resort Magnífico: Avenida da Fazenda, 895, Monte Verde (MG), tel. (13) 3284-0145.

Central de Reservas: (13) 3284-0145, www.resortmagnifico.com.br

 

Fotos: Reginaldo Pupo e Matheus M. L. Santos/Agência Facto

Foto do portal de entrada de Monte Verde – Wikimedia

 

 

Bragança Paulista sedia o primeiro Healthy Week

•Agosto 12, 2017 • Deixe um Comentário

Fazenda Coronel Jacinto.jpg

A estância climática doInterior de São Paulo é perfeita para quem deseja fugir da agitação das metrópoles. Com hotéis, bares e restaurantes, oferece imperdíveis passeios pela natureza, além de ser famosa por suas linguiças artesanais. No início de agosto também foi sede de um evento embrionário focado no bem-estar e na sustentabilidade.

Por Fabíola Musarra

Localizada a cerca de 90 km da capital paulista, na região Sudeste do Estado de São Paulo, Bragança Paulista é uma cidade perfeita para quem deseja fugir da correria do dia a dia. Afinal, nada melhor do que relaxar em um lugar esculpido pela natureza enquanto saboreia as linguiças artesanais ali produzidas. Se gostou da ideia, a Fazenda Coronel Jacinto é um endereço que merece a sua atenção.

Abraçada por paisagens tingidas pela vegetação de incontáveis tons de verde, colinas, montanhas e lagos, abriga graciosos chalés. Tem como proposta básica conduzir o hóspede a conviver com a natureza, vivenciando o modo de vida simples em uma fazenda. Exatamente por ter essa filosofia é que a fazenda sediou o Healthy Week (WH), a primeira edição de um evento que pretende se repetir todos os anos.

Realizada nos dias 5 e 6 de agosto, a iniciativa contou com a participação do Unique Garden Hotel & SPA e apoio do Toriba. Empresários e especialistas das áreas de bem-estar do corpo e da mente e da gastronomia também se uniram ao projeto, oferecendo aos participantes uma programação focada na alimentação saudável e na sustentabilidade. Todas as atividades foram abertas ao público e gratuitas.

Feirinha do Healthy Week em Bragança Paulista – São Paulo – Foto: Fabio Varella

Logo ao entrar na área destinada ao WH, os visitantes puderam conhecer o trabalho de produtores rurais e artesãos locais, que expuseram em uma pequena feira morangos orgânicos, diferentes tipos de cogumelos, queijos de cabra e o artesanato sustentável. Os produtos foram vendidos em “barraquinhas” montadas em forma de estações e construídas de acordo com os preceitos da bioarquitetura.

Depois foi a vez de Cecília Faipo ensinar os presentes como poderiam aquecer o corpo e a mente em contato com a natureza, com gestos simples, educativos e divertidos. Também sessões de fitness foram realizadas de 15 em 15 minutos até o final do dia. O Paiol do Seu Maneco, um simpático espaço perto da feirinha, foi palco de interessantes oficinas.

Com temas relacionados à culinária saudável e ao bem-estar, as aulas com direito à degustação ou à prática de exercícios foram comandadas por chefes de cozinha, biólogos, agrônomos e especialistas. O subchefe Gilmar Alves, do Unique Garden Hotel & SPA, por exemplo, ensinou os participantes a preparar um delicioso molho de ervas para temperar saladas.

Já a palestra com Carlos Alberto, da Padaria Santo Forno, mostrou um método para fazer a fermentação natural de pães, enquanto a oficina com o chefe Lino, do Restaurante Bella Itália e Sabores de Bragança, ensinou os benefícios proporcionados pela cozinha mediterrânea.

Chefe Jerson Yokota, do Restaurante Haw-Lai, na oficina sobre culinária chinesa. Ao lado, o chefe Lino, do Bella Itália e Sabores de Bragança – Foto: Fabio Varella

No workshop de culinária chinesa, os ouvintes aprenderam como restaurar o corpo e a mente com pratos equilibrados e saudáveis, recebendo dicas sobre a seleção, o preparo e a apresentação dos alimentos. A oficina foi comandada pelo chefe Jerson Yokota, do Restaurante Haw-Lai (em chinês, significa seja bem-vindo).

Depois do almoço, a palestra de Patrícia Sampaio discorreu sobre a alimentação detox curativa, com o aprendizado e a degustação de receitas, como o suco verde com leite vegetal, o pudim de chia e o rol de couve-flor. O primeiro dia do evento terminou com aula de BoSSamba e uma apresentação de um grupo xamânico. As canções e mantras aconteceram ao redor de uma fogueira, tendo o céu estrelado como testemunha.

O embrionário Healthy Week de Bragança Paulista (SP) aconteceu no primeiro final de semana de agosto – Foto: Fabio Varella

A manhã seguinte foi preenchida por uma oficina ministrada por Jimmy Junoy. Na aula direcionada à mente e à psique, os participantes aprenderam como desenvolver o lado direito do cérebro, por meio da prática de meditação, executando ainda exercícios de respiração e relaxamento.

Embora o Healthy Week tenha chegado ao fim, seus organizadores prometem repetir a dose anualmente, revezando os locais de sua realização e de hospedagem. “A ideia é fazer o evento em um local onde as pessoas fiquem desconectadas da agitação e tenham contato com a natureza, mantendo-se distantes da rotina de um hotel tradicional”, diz Enry Saint Falbo, um dos idealizadores do projeto.

“O conceito fundamental do HW é valorizar o bem-estar e a responsabilidade socioambiental, divulgando trabalhos sustentáveis de produtores locais, com a renda revertida às comunidades carentes”, completa Falbo, que também é um dos proprietários da Fazenda Coronel Jancinto. “Mais do que tudo, queremos despertar e incentivar as pessoas a adotar esse novo estilo de vida”, finaliza.

A Fazenda Coronel Jacinto, propriedade que sediou o Healthy Week em Bragança Paulista, interior de São Paulo – Foto: Divulgação

A fazenda  Situada a 15 km do centro urbano de Bragança Paulista, a Coronel Jacinto está inserida em uma bucólica paisagem rural, num espaço onde antigamente funcionava uma imensa propriedade de café. Com ar puro, seus chalés têm varandas, alguns com vista para a piscina ao ar livre ou para uns dos sete lagos para a pescaria que banham a propriedade.

Equipados com televisão e frigobar, os chalés têm decoração rústica e banheiro individual. Na área de entretenimento, o empreendimento conta com pistas off-road, onde você, se quiser, pode acelerar e curtir muita adrenalina em um circuito marcado por curvas rápidas e lentas, onde subidas e descidas se revezam.

Se você é mais zen e prefere emoções menos radicais, as opções são as caminhadas e os passeios de bike e de cavalo, além das massagens do SPA. A sala de jogos é um bom lugar para aperfeiçoar o seu bilhar. E, no bar-restaurante, você pode provar a cachaça da região (a Busca Vida) e saborear refeições caseiras, como o ragu preparado com a linguiça bragantina.

A Coronel Jacinto oferece estacionamento gratuito, internet nas áreas comuns e business center. Aceita animais de estimação, caso solicitado com antecedência. Esse serviço pode ou não ter custo adicional, assim como o traslado do aeroporto ou para a cidade.

Embora a distância seja pequena, a estrada que conduz à fazenda não é asfaltada nem sinalizada. Por isso, é recomendável que, antes de ir, você se informe com os proprietários sobre como chegar lá, obtendo pontos de referência. Conforme o combinado na reserva, eles podem marcar um lugar para te buscar, evitando que se perca no caminho.

Gostou da sugestão? Então anote: a Fazenda Coronel Jacinto fica no quilômetro 15 da Estrada Fernando Frias Fernandes, Estiva do Agudo, Agudo, tel. (11) 97146-4500,www.fazendacoroneljacinto.com.br. Boa estadia!

O QUE FAZER

NA CIDADE:

Lago do Taboão – Point ideal para caminhadas e corridas, é o postal da cidade. Além de um lindo lago, conta com pista de cooper, quadras esportivas e playground. É cercado por bares, cervejarias e restaurantes. Avenida Alpheu Grimello s/nº.

Museu Municipal Oswaldo Russomano – Suas mais de três mil peças, entre louças, obras de arte sacra, instrumentos musicais e objetos pertencentes à antiga estrada de ferro, revelam um pouco do passado da cidade. Rua Coronel João Leme, 520, centro, tel. (11) 4033-7566.

Museu do Telefone – O acervo de 60 peças mostra a contribuição da estância climática paulista para o desenvolvimento da telefonia nacional – foi a terceira cidade brasileira a ter telefone, depois do Rio de Janeiro, à época a capital federativa do País, e de São Paulo. O prédio é patrimônio cultural construído em 1907. Praça José Bonifácio 126, centro, tel. (11) 4033-1937.

Mercado Municipal Waldemar de Toledo Funk – Endereço certo para quem quer comprar os alimentos da região e, sobretudo, as linguiças artesanais bragantinas, feitas com variados recheios, desde os com provolone, rúcula e tomate seco até os com vinho e com ervas finas. Também vende versões feitas com frango, que podem incluir ou não bacon em seu preparo. Rua Coronel Teófilo Leme, 1.240, centro.

NOS ARREDORES:

Represa Jaguari – Jacareí – Formada pelos rios Jaguari e Jacareí e a uma altitude de 844 m acima do nível do mar (é a mais alta do Sistema Cantareira), a represa fica a poucos quilômetros do centro de Bragança Paulista. Não possui infraestrutura turística, mas seus mirantes naturais oferecem visuais deslumbrantes. É perfeita também para a prática de esportes náuticos, pesca e natação. Estrada de Piracaia, saída pela Rodovia Fernão Dias. 

Marina Estância Confiança – Para quem gosta de esportes náuticos, pesca e natação, a marina disponibiliza vários deles. Seu pacote para o fim de semana inclui café da manhã. O check in pode ser feito a partir das 18 horas da sexta-feira (cortesia da marina), com check out às 18 horas de domingo. Crianças de até cinco anos têm cortesia. Já o day use é das 8 às 18 horas. Estrada Municipal José Vaccari, s/nº, bairro da Serrinha, Bragança Paulista, na Represa do Jaguari – Jacareí. Tels. (11) 4217-1684, (11) 99953-1684 (Vivo e WhatsApp) e (11) 96589-6204 (Claro), www.marinaconfianca.com.br

Marina.jpg

Além de dispor de chalés para hóspedes, a marina (entenda-se um grande condomínio fechado) oferece day-use e passeios náuticos, incluindo piqueniques e comemorações em seus barcos – Foto:  Sidney Trindade