Quanto mais você viaja, mais educa

•Março 10, 2017 • Deixe um Comentário

Na hora de viajar, não deixe de incluir em sua bagagem uma pitada de economia e uma boa dose de transformação social e solidariedade. Saiba como.

Vista Aérea dp Bairro de Capivari - Campos do Jordão - SP

Por Fabíola Musarra

Você é daqueles que adoram viajar? Então, o que acha de colocar os pés na estrada, conhecer ou revisitar lugares divinos do destino, economizar nas diárias do hotel e ainda, sem gastar nenhum centavo, contribuir com a educação e com o aumento da autoestima de centenas de brasileirinhos? Isso não é um sonho. Nem tampouco demagogia. Ao contrário, com um pouco de planejamento (como, aliás, requer toda viagem), qualquer mortal pode desfrutar de uma inovadora ação idealizada pela Gaia+.

A entidade é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Foi fundada em 2014 e é responsável pela criação e pelo desenvolvimento do Viagem do Bem, um programa social que tem como objetivo transformar o dia a dia de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade, possibilitando que atinjam o máximo de suas potencialidades por meio da educação e da integração entre corpo e mente.

“Em nossas atividades, disseminamos não apenas conhecimento, mas valores como otimismo, perseverança e cidadania”, explica Eduardo Pacífico, diretor-geral da Gaia+. “A garotada tem muita energia e ela deve ser canalizada para uma transformação positiva. Os pequenos e os jovens conhecem a própria realidade e podem se engajar e contribuir com ideias inovadoras e soluções práticas para melhorar a qualidade de vida do bairro e da comunidade onde vivem”, acrescenta.

Eduardo Pacífico, diretor-geral da Gaia +, ao lado de crianças e jovens atendidas pela Gaia+

Para concretizar esses ideais, o pessoal do Viagem do Bem faz parcerias com hotéis, secretarias municipais de educação, organizações e empresas associadas ao Convention & Visitors Bureau, conseguindo reduzir o custo dos serviços aos turistas. Por sua vez, os empreendimentos participantes revertem parte dos lucros ao programa. Com isso, todo mundo sai ganhando: o turista economiza nas diárias de sua hospedagem e recebe descontos e mimos de restaurantes, lojas e demais estabelecimentos integrantes do projeto.

Já os hotéis e as pousadas conseguem ter lucros nos períodos de baixa temporada, quando o índice de ocupação é bastante reduzido. Mas não é só. Ao captar um maior número de visitantes para a cidade, a iniciativa também movimenta a economia de restaurantes, lojas e atrativos turísticos locais. E, o mais importante, melhora a autoestima e incentiva crianças e jovens a transformar o seu futuro, o de sua comunidade, o de seu país e do mundo.

Campanhas da Gaia+ para incentivar a cidadania e o respeito às diferenças

“Ao financiar projetos educacionais capazes de modificar a realidade de jovens, o Viagem do Bem possibilita que turistas tenham acesso aos melhores hotéis e experiências inesquecíveis, deixando o seu legado no destino”, resume Cleber Isaac Ferraz, um dos idealizadores da iniciativa. “O programa brinda ainda a cidade com um projeto social transformador e os seus empreendimentos vendem diárias que estariam vacantes, divulgam suas marcas e ainda recebem um selo de Hotel do Bem”, completa.

O bem nas alturas – Não é tudo. Ao converter parte da receita das diárias em recursos, o projeto torna-se autossustentável e replicável – em setembro do ano passado, a iniciativa beneficiou mais de 600 crianças e jovens de duas escolas públicas de Florianópolis, em Santa Catarina. Agora, pretende favorecer a lindíssima Campos de Jordão, postal desenhado com esmero na Serra da Mantiqueira do Estado de São Paulo. Ali, no município situado a quase 1.700 metros acima do nível do mar, o Viagem do Bem será realizado de 10 a 12 e de 17 a 19 de março.

Araucária em Campos do Jordão - Foto Caroline de Oliveira.jpg

Anote as datas, planeje a sua viagem e faça a sua reserva na Topa Viagens, agência responsável pela venda dos pacotes. Depois, aproveite tudo de bom que essa glamorosa estância climática paulista pode te oferecer neste período, quando, com o apoio do Convention & Visitors Bureau de Campos do Jordão e Região, alguns hotéis e pousadas da cidade serrana estarão com diárias mais convidativas e muitas de suas atrações turísticas, de suas lojas e de seus bares e restaurantes vão oferecer descontos e mimos aos hóspedes do Viagem do Bem.

As diárias oferecidas nesses finais de semana prometem contemplar todos os gostos e bolsos. Assim, você pode escolher aquele que é o seu número entre as opções de hospedagem que participam da iniciativa. São elas: o Hotel Toriba, o Surya-Pan, o Palazzo Reale, o Le Renard e as pousadas Portal das Cerejeiras e Joia da Serra. Com o repasse de parte da renda obtida por esses empreendimentos hoteleiros, o Viagem do Bem, ao longo de todo este ano, vai implantar projetos educacionais de alto impacto em de Campos do Jordão.

Mariana Scofano, do Gaia+ - Foto Caroline de Oliveira

Na prática, a entidade pretende que a implementação de seus projetos educacionais na cidade transforme a realidade de mais de 600 crianças e adolescentes das escolas públicas Amadeu Carletti Junior e Octavio da Matta, selecionadas conforme orientação da Secretaria Municipal local. “Nossa ideia é aumentar a felicidade e o bem-estar desses alunos estimulando e desenvolvendo valores e aprimorando seu padrão mental”, diz Mariana Scofano, do Gaia+.

Para isso, profissionais qualificados do Gaia+ vão promover encontros presenciais de uma hora com os estudantes (quatro por mês nos demais dez meses restantes de 2017). Também serão realizadas diversas atividades lúdicas, com jogos e brincadeiras, para que as crianças e os jovens aprendam técnicas e modifiquem a sua maneira de entender e interpretar o mundo, tornando-se capazes de mudar as suas próprias realidades e o futuro.

Vale lembrar que as atividades que fazem parte do projeto educacional da Gaia+ estão baseadas no seguinte tripé: Hora do Comunicar, Hora do Pensar e Hora do Brincar. O primeiro envolve leitura, escrita e comunicação oral dos alunos, enquanto o segundo trabalha o raciocínio lógico e matemático. Já as atividades do último estimulam o trabalho em equipe, a amizade, o autoconhecimento, o autocontrole e a autoconfiança.

Conto de fadas – Sonho de consumo de dez entre dez turistas do Norte ao Sul do País, Campos de Jordão é mesmo uma cidade mágica. Com simpáticos chalés alpinos que remetem a memória às construções europeias, a cidade, que é tida como a Suíça brasileira, ostenta deslumbrantes paisagens recortadas por araucárias e pinheiros, pelo friozinho e pelo ar puro da montanha. Abriga ainda em seu solo ótimos hotéis, dezenas de charmosas malharias e lojas, chocolaterias, bares e restaurantes. Sem deixar de lado sua efervescente vida noturna.

Palácio Boa Vista - Campos do Jordão - SP.jpg

Como os pacotes dos hotéis e pousadas envolvidos no projeto começam na sexta-feira e terminam no domingo, você terá de programar bem o seu tempo se quiser visitar algumas das irresistíveis atrações da cidade. Para facilitar, seguem algumas dicas. No bairro Alto da Boa Vista, o Palácio Boa Vista é uma delas. Residência oficial do governador do Estado de São Paulo, oferece visitas guiadas e gratuitas, com direito a uma aula de história e contemplação de obras de modernistas de Tarsila de Amaral, Anita Malfatti, Portinari, Di Cavalcanti e Brecheret.

Auditório Cláudio Santoro em Campos do Jordão - foto Caroline de Oliveira.jpg

Também o Auditório Cláudio Santoro, onde todo o mês de julho acontece o badalado Festival de Inverno, merece a sua visita. Fica pertinho do Palácio Boa Vista e seu vasto jardim guarda o Felícia Leirner, um museu ao ar livre com 80 esculturas em gesso, ferro e bronze da artista polonesa. Por ali também fica um mirante para contemplação da Pedra do Baú, o maior ícone da Serra da Mantiqueira.

Museu Felícia Leirner - Campos do Jordão - SP

Programa obrigatório para os adeptos de adrenalina e emoções fortes, a imponente pedra de 1.950 metros de altura, cujo pico só pode ser atingido por meio de longas trilhas e íngremes escaladas, faz parte de um complexo formado por outras duas rochas: a Ana Chata (1.670 m) e a Bauzinho (1.760 m e acessível de carro). Embora o complexo esteja situado na vizinha cidade de São Bento do Sapucaí, a Pedra do Baú pode ser admirada de muitos outros pontos de Campos do Jordão.

Pedra do Bau - Campos do Jordão - Foto Caroline de Oliveira.jpg

Caso do mirante do Parque Amantikir, onde graciosos jardins temáticos, habitados por plantas e árvores de todos os cantos do planeta, tornam o passeio inesquecível. Imperdíveis também são o cordeiro do Restaurante Confraria do Sabor e as massas artesanais servidas pelo Nonna Mimi, uma impecável cantina italiana. Esses, porém, não são os únicos endereços da excelente gastronomia. Ao contrário, a cidade oferece ótimas e diversificadas opções para os amantes do bom garfo, incluindo cafeterias com deliciosos e bem-servidos cafés coloniais.

Parque Amantikir - Campos do Jordão - SP

Se o seu negócio é agito e burburinho, o point é a Baden Baden, ponto de azaração e de encontro de gente bonita e descolada situado na Vila Capivari. Como a cervejaria é disputadíssima, chegue com bastante antecedência se quiser encontrar uma mesa. E já que está neste epicentro turístico onde tudo acontece em Campos do Jordão, faça uma caminhada e inclua em seu passeio stops nas malharias, lojas de doces e compotas caseiros e chocolaterias que por ali se multiplicam.

Aventura no Rancho - Campos do Jordão - SP.jpg

Ainda no pulsante centrinho da Vila Capivari, não deixe de observar as flores, as árvores e os jardins. Repare ainda nas luzes amareladas dos postes que iluminam as ruas e nos barzinhos, com aquecedores tipo lareira e música ao vivo, que conferem um bucólico colorido ao lugar.  E se você curte aventuras radicais, dê uma esticada ao Aventura no Rancho, com tirolesa de 800 metros de extensão e 100 metros de altura, arvorismo, trilhas, water trekking e cavalgadas.

Por último, não se esqueça que Campos do Jordão não se resume apenas a esses atrativos. Conta ainda com teleférico até o Morro do Elefante, a Ducha de Prata, o Horto Florestal e os antigos bairros de Jaguaribe e Abernéssia, o centro oficial e comercial da cidade. Há ainda o passeio de Maria-Fumaça por trilhos centenários que conduzem à cidade de Santo Antônio do Pinhais, brindado com cenários indescritíveis, intercalados por vilarejos, paisagens campestres e belezas naturais.

Sem falar do simpático bondinho urbano de estilo inglês que cheio de graça atravessa os bairros centrais da cidade, dos antigos mosteiros e igrejas, dos museus… Campos, como a cidade mais alta do Brasil é carinhosamente chamada pelos paulistas, é tudo isso e muito mais. Mas essas e todas as suas demais atrações são assunto para uma próxima aventura. Por enquanto, aproveite o fim de semana. Boa diversão!

SERVIÇO

Gaia + – Está sediada em Piracicaba, no interior de São Paulo, onde desde 2015 atua na área de cidadania, educação, divulgação científica e ecologia, oferecendo gratuitamente às crianças e aos jovens de escolas públicas da cidade atividades educacionais, além de café da manhã, almoço e lanche da tarde. Em 2016, atendeu mais de duas mil crianças entre os projetos Gaia + Cidadania, Gaia + Educação e Gaia + Novo Jeitinho Brasileiro. Em breve, a entidade pretende expandir o Viagem do Bem para outros hotéis e resorts do Brasil e do Exterior.

Auditada anualmente pela Deloitte, a Gaia+, ao lado de seus parceiros, vem transformando a vida de crianças que teriam poucas oportunidades de serem desafiadas para o aprendizado tanto intelectual quanto emocional. Entretanto, há muito a evoluir e qualquer ajuda é bem-vinda. Rua Tiradentes, 483, centro, Piracicaba, (19) 3302-5916, sites www.viagemdobem.org.br e www.gaiamais.org.br.

 Onde comprar

Topa Viagens – A agência é o canal oficial de vendas do pacote. Para obter informações sobre os hotéis e pousadas participantes do Viagem do Bem e fazer a reserva, acesse topaviagens.com.br/pacotes-personalizados/pacote/campos-do-jordao

Passeios

Palácio Boa Vista – Além das obras dos modernistas brasileiros, reúne ainda uma coleção de artes sacras, pratarias, louçarias, tapeçarias e móveis dos séculos 17, 18 e 19. Av. Dr. Adhemar de Barros, 3.001, Alto da Boa Vista, tel. (12) 3668-9759, site http://www.palacioboavista.com.br.

Auditório Cláudio Santoro e Museu Felícia Leirner (www.museufelicialeirner.org.br) – Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista, tel. (12) 3662-3166.

Parque Amantikir – O passeio guiado pelo parque dura entre 1h20 a duas horas. Os guias são excelentes e, se quer uma indicação, solicite o Alison Vinicius Oliveira do Amaral, um profissional que é apaixonado pelo que faz e é extremamente paciente com os integrantes do grupo. Rodovia Campos do Jordão/Eugênio Lefevre, 215, Gavião Gonzaga, tel. (12) 3662-5044, site http://www.amantikir.com.br.

Parque Amantikir - Foto Elíria Buso.jpg

Aventura no Rancho – Com oito chalés destinados a casais e famílias e prestes a inaugurar casas em árvores, oferece aventuras radicais e também possui centro de eventos. Av. Pedro Paulo, 7.997, tel. (12) 3663-7400, site aventuranorancho.com.br.

Cervejaria e restaurantes

Confraria do Sabor – Com pé direito alto e ambiente amplo e glamoroso, oferece gastronomia de primeira, com pratos e sucos criados com maestria pelo chef Fernando Couto. Av. Victor Godinho, 191, Capivari, telefone (12) 3663-6550, site http://www.confrariadosabor.com.br.

Nonna Mimi – A concorrida cantina italiana tem seu ponto alto nas massas artesanais. Também oferece opções como a perna de cabrito, o bacalhau e a truta da montanha. Av. Januário Miraglia, 2.438, Jaguaribe, tel. (12) 3662-3522, site nonnamimi.com.br.

Cervejaria Baden Baden – Além das cervejas artesanais e de tentadores petiscos, disponibiliza um tour guiado ao seu interior onde é possível conferir de perto o processo de fabricação da bebida. Av. Matheus C. Pinto, 1.653, Santa Cruz, tel. (12) 3664-2004.

Hotéis

Flat Hotel Palazzo Reale – Disponibiliza acomodações tanto para casais como para famílias, com sala e cozinha americana equipada com microondas e geladeira. Já os apartamentos standard, casal ou duplo possuem lençol térmico, tevê por assinatura, aquecimento interno e frigobar. Na área de lazer, oferece piscina aquecida e coberta, hidromassagem, saunas seca e úmida, fitness e sala de jogos com mesa de carteado, sinuca e hockey de mesa.

Conta ainda com sala com computadores e acesso a internet wi-fi, bar, restaurante, bar, estacionamento fechado e recepção 24 horas. A diária inclui o café da manhã, com uma grande variedade de itens, entre bolos, tortas e pães caseiros. Rua Rafael Pelegrini Gianotti, 299, Capivari (Centrinho Turístico de Campos do Jordão), apenas 500 metros de locais como Baden Baden, Estação do Trenzinho e teleférico. Tel. (12) 3669-9600, site http://www.palazzoreale.com.br.

Surya Pan Hotel & Eventos – Está instalado em uma área de 380 mil m2, com privilegiada vista para a Serra da Mantiqueira e para a Pedra do Baú. Com 10 km de trilhas e estradas privativas num bosque, oferece oito bangalôs suspensos, 15 suítes, restaurante, lounge, recepção, salão de eventos, piscina climatizada com raias semiolímpicas com borda infinita, capela e estacionamento com capacidade para mais de mil carros. Está localizado no bairro Alto da Boa Vista, entre a Av. Dr. Ademar de Barros e Av. Alto da Boa Vista, ao lado do Palácio do Governo e do Auditório Claudio Santoro, a 2 km do centro comercial e a 6 km do centro turístico. Tel. (12) 3664-3556, site http://www.suryapan.com.br.

Hotel Toriba – Inaugurado em 1943, é um hotel com arquitetura em estilo alpino abraçado pelo verde. Pelos seus dois milhões de metros quadrados espalham-se piscina aquecida, quadra de tênis, academia com vista para a floresta, sauna e hidromassagem cercada por pinheiros nativos e jardins de flores, além do Restaurante Pennacchi e do romântico Toribinha Bar, famoso pelo ambiente intimista e pelos deliciosos fondues. A hospedagem inclui wi-fi gratuito.

Os quatros com varanda são aquecidos e equipados com tevê a cabo, telefone e frigobar. Os chalés dispõem de uma cozinha completa, assim como de área de estar. O café da manhã, com generoso bufê de pães e doces caseiros, é servido na sala de refeições com vista panorâmica. Abriga ainda uma sala de jogos, trilha privativa para caminhadas, uma fazendinha e estacionamento. Está distante a 8 km de Capivari. Av. Ernesto Ddiederichsen, 2.962, tel. (12) 3668-5000, site www.toriba.com.br.

Hotel Le Renard – Considerado como um dos Melhores Hotéis do Brasil pelo TripAdvisor em 2016, exibe visual em estilo normando seguindo as características de Campos do Jordão. Possui 30 apartamentos, com internet wireless, aquecimento no piso dos banheiros, aquecedor de toalhas, calefação de parede, cama queen size e cofre eletrônico, entre outras mordomias. Abriga ainda piscina aquecida adulto e infantil, sauna a vapor e seca, sala de ginástica, sala de massagens, bar, restaurante, centro de eventos, serviço de transfer em carro e estacionamento com manobrista. Rua Eng. Souza Campos Júnior, 50, Capivari, tel. (12) 3669-2220, site: http://www.lerenard.com.br.

Pousada Portal das Cerejeiras – Eleita pelo Guia 4 Rodas como a melhor pousada custo/benefício de Campos do Jordão, disponibiliza suítes Master e Premium com DVD e tevê LCD, banheiros setorizados, sistema de calefação italiano, sala de café com lareira e tevê LCD, jardim de inverno e pub com jogos de mesa. Também oferece acomodações para portadores de necessidades especiais, internet wi-fi, Business Center, serviço de massagem e estacionamento fechado com portão automatizado, monitorado por câmeras 24 horas. Rua Alcídio Vitorino de Souza, 40 – Vila Loli, tel. (12) 3664-4730, site:www.portaldascerejeiras.com.br.

Pousada Joia da Serra – Circundada pelo verde, oferece internet wi-fi e acomodações aconchegantes para casais e quartos duplos e triplos, todos equipados com aquecimento central e aquecedor de ambiente, telefone, frigobar, tevê e DVD. Possui ainda estacionamento, american bar e sala de televisão com lareira. Rua Rubens de Moura Leite, 257, Alto da Vila Inglesa, tel. (12) 3663-1247, site http://www.pousadajoiadaserra.com.br.

 

 

 

 

Está em São Paulo? Prepare-se para cair na folia

•Fevereiro 21, 2017 • Deixe um Comentário

o-grupo-carioca-monobloco-participou-do-carnaval-de-rua-de-sao-paulo-desfilando-pela-regiao-do-parque-ibiapuera

Em contagem regressiva para o Carnaval, foliões do Brasil inteiro já se preparam para cair na folia que impera nos dias de reinado de Momo – aliás, desde o último fim de semana, diversas cidades já vivem a animação dos blocos carnavalescos, que colorem ruas e parques. Caso da megametrópole de São Paulo, onde não faltam opções de agito. Além dos tradicionais desfiles das escolas de samba do grupo especial no Sambódromo do Anhembi, a capital paulista recebe a alegria contagiante de centenas de blocos de rua.

carnaval-de-rua-2017-2

Espalhados por todas as regiões da cidade, os blocos já invadiram e continuam arrastando uma animada multidão pelas ruas de Pirituba (Zona Norte), M’Boi Mirim (Zona Sul), Itaquera (Zona Leste), Largo da Batata (Zona Oeste) e Vale do Anhangabaú (Centro), só para citar alguns bairros paulistanos. São quase 400 blocos, com ritmos para todas as idades e gostos (a relação completa e atualizada do Carnaval de Rua está disponível no link http://carnavalderua.prefeitura.sp.gov.br/wp-content/uploads/2017/02/Carnaval-de-Rua-2017_relacaodeblocosatualizada_17022017_site.pdf).

carnaval-de-rua-3

Os blocos foram cadastrados pela Secretaria Municipal da Cultura e os trajetos organizados em parceria com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e com as prefeituras regionais. Como nos anos anteriores, as zonas residenciais foram preservadas, com horário para dispersão dos blocos. Nas regiões de Pinheiros e Sé foram mantidos os limites do ano anterior, 20 horas e 22 horas respectivamente. Na Lapa, a dispersão ocorre às 21 horas, e na Vila Mariana, às 19h30. A região da Sé receberá o maior número de blocos neste ano, 119, seguida de Pinheiros (89), Lapa (31), Vila Mariana (24) e Santana (17).

desfile-de-blocos

Em 2017, o Carnaval de Rua chega a prefeituras regionais que não tiveram apresentações no ano passado, como Aricanduva/Vila Formosa, Capela do Socorro, Itaim Paulista, Perus e Sapopemba. Em toda a cidade, serão 395 desfiles, porque há blocos que se apresentam mais de uma vez durante o período oficial da festa. “O Carnaval deRua de São Paulo não é fechado, não tem cordão. Portanto, os blocos são democráticos e abertos. Você pode se inserir em qualquer um”, diz o secretário municipal de Cultura, André Sturm.

carnaval-em-socorro

Infraestrutura – Este ano, a Prefeitura da cidade está disponibilizando 14 mil diárias de banheiros químicos, distribuídos pelas vias da cidade onde os blocos desfilam. Conta ainda com o auxílio de 1.506 funcionários para limpar as ruas após a passagem dos blocos, além de ter credenciado oito mil ambulantes – trabalharão com colete, credencial e isopor. Quase 400 agentes fiscalizarão o comércio irregular.

Os foliões terão ainda à disposição 48 postos médicos, 365 ambulâncias de remoção e 209 ambulâncias com UTIs, além de serviços regulares do Samu. Os desfiles dos blocos também têm o apoio de 1.220 bombeiros. Quanto ao trânsito, 2.900 agentes de trânsito estarão auxiliando os foliões e organizando o tráfego de veículos. Faixas e banners serão afixados informando os moradores das regiões onde as ruas serão interditadas.

Em São Paulo, haverá palcos com programações culturais das 19 horas às 23 horas no Largo da Batata, na Zona Oeste, e no Anhangabaú, no Centro, nos dias 25, 26 e 27 de fevereiro. Para ajudar foliões no planejamento do seu roteiro de Carnaval de Rua de São Paulo, o Lab Prodam criou um jogo virtual que traz informações sobre os blocos de rua com dados como horário e local da concentração. Batizado de Lab na Via, este é o primeiro jogo desenvolvido pela Prefeitura de São  Paulo . O aplicativo já está disponível na versão Android e pode ser encontrada na loja do Google Play gratuitamente.

Blocos de São Luiz do Paraitinga animam o Carnaval de Socorro

•Fevereiro 17, 2017 • Deixe um Comentário

Os dias de Momo no município do interior de São Paulo, famoso a prática de esportes radicais, terão ainda mais adrenalina com a participação de blocos carnavalescos da histórica cidade paulista do Vale da Ribeira.

Portal de Socorro.jpg

Os famosos bonecos gigantes do bloco Juca Teles, Bloco da Maricota e Banda Estrambelhados da encantadora cidade de São Luiz do Paraitinga, no Vale da Ribeira, em São Paulo, vão se juntar as atrações de Socorro e irão desfilar pelas ruas do centro da cidade. Este ano,  o tema do CarnaHelp, como é conhecido o Carnaval de Socorro, é “Lendas da Música Brasileira”, uma homenagem aos grandes nomes da música popular brasileira.

Carnaval em Socorro.jpg

Outro destaque na programação deste ano é o Bloco do Turista formado por foliões que estão visitando a cidade. Os hotéis e pousadas de Socorro organizam o bloco com coloridos abadás. Este ano, o tema do bloco é “Aventura”. Foliões com coletes, capacetes, cadeirinhas, bicicletas e triciclos irão animar a avenida. Até um bote inflável, usado para fazer o rafting, irá “desfilar”.

Igreja da  Matriz em Socorro.jpg

A Praça da Matriz vai ser um dos principais palcos do Carnaval em Socorro.

Socorro é conhecida pelo animado Carnaval de rua. Famílias inteiras, gente de todas as idades, lotam as ruas centrais para brincar e pular atrás dos blocos carnavalescos, escolas de samba, trios elétricos e bandas.  A abertura do Carnaval acontece o dia 24, às 20 horas, na Praça da Matriz, centro, com o Festival de Marchinhas. Pelo quarto ano consecutivo, as três melhores músicas do gênero serão escolhidas por um júri e premiadas. Vinte músicas inscritas e pré-selecionadas serão apresentadas na praça dando início a folia.

Todos os dias, a partir das 15h30, serão realizadas atividades para a criançada como matinês com banhos de espuma e oficinas de máscaras e de maquiagem artística infantil. E no dia 28, às 23h45, acontece o grande Encontro de Trios Elétricos. Tudo isso de graça na praça.

Confira a programação completa:

Locais dos desfiles do Carnaval em Socorro: Ruas Campos Salles e Treze de Maio, centro.

Dia 24:

20 horas: Grito de Carnaval – Bateria da Falange

Dia 25:

21 horas – Banda da Alegria/Bloco do Conselho Municipal de Cultura (Comuc)

21h15 – Carro da Corte do Carnaval

21h30 – Banda Banzé do Bigode/Bloco da Joaninha

21h45 – Bloco Me Deu Onda

22 horas – Bloco dos Navegantes

22h15 – Vai Quem Qué

22h30 – Escola de Samba – Caprichosos do Samba

23 horas – Sambistas Sem Tradição

Dia 26:

21 horas – Banda da Alegria/Bloco do Comuc

21h15 – Carro da Corte do Carnaval

21h30 – Bloco do Nariz Vermelho/Batulecada/Banda Banzé do Bigode

21h45 – Bloco Juca Teles e Banda Estrambelhados de São Luiz do Paraitinga

22 horas – Carna Zumba

22h15 – Bloco dos Turistas

22h30 – GRES Falange/Bloco da Apae

23 horas – Sambistas Sem Tradição

Dia 27:

21 horas – Banda da Alegria/Bloco do Comuc

21h15 – Carro da Corte do Carnaval

21h30 – Banda Banzé do Bigode/Bloco da Joaninha

21h45 – Bloco da Maricota de São Luiz do Paraitinga

22 horas – Carna Zumba

22h15 – Vai Quem Qué

22h30 – Escola de Samba Caprichosos do Samba

23 horas – Sambistas Sem Tradição

Dia 28:

21 horas – Banda da Alegria/Bloco do Comuc

21h15 – Carro da Corte do Carnaval

21h30 – Bloco do Nariz Vermelho/Batulecada/Banda do Banzé do Bigode

21h45 – Bloco Me Deu Onda

22 horas – GRES Falange/Bloco da Apae

22h30 – Sambistas Sem Tradição

Shows na Praça da Matriz

Matinê com banho de espuma todos os dias a partir das 15h30

Dia 24:

15 horas – Integrade Jazz Band

20h30 – Festival de Marchinhas

22h45 – Coroação da Corte do Carnaval 2016

23 horas – Banda Banzé do Bigode

Dia 25:

15h30 – Banda da Alegria – Matinê

7 horas – DJ –Matinê

22 horas – Banda Banzé do Bigode

Meia-noite – Banda Me Gusta

Dia 26:

15h30 – Banda Banzé do Bigode

16h30 – Carna Zumba – Matinê

22 horas – Banda Banzé do Bigode

23 horas – Bloco Juca Teles e Banda Estrambelhados de São Luiz do Paraitinga

Meia-noite – Banda Me Gusta

Dia 27:

15h30 – DJ – Matinê

16h30 – Carna Zumba – Matinê

22 horas – Banda Banzé do Bigode

23horas – Banda Maricota de São Luiz do Paraitinga

Meia-noite – Banda Me Gusta

Dia 28:

15h30 – DJ –Matinê

16 horas – Os Navegantes – Matinê

22 horas – Banda Banzé do Bigode

Meia-noite – Banda Me Gusta

Oficinas do Comuc para o público

Oficina de Maquiagem Artística Infantil – Responsável: Giuliana Macedo

Dias 26 e 28, das 15h30 às 19h30, na Praça da Matriz.

Oficina de Máscaras – Responsável: Rosangela Politano

Dias 25 e 27 das 15h30 às 19h30 na Praça da Matriz.

DJ todas as noites na Praça da Matriz a partir das 21 horas

Dia 28:

23h45 – Grande Encontro de Trios Elétricos na Praça da Matriz

Informações sobre a cidade de Socorro e hospedagem pelo site www.socorro.tur.br

Novidades nos aeroportos

•Dezembro 17, 2016 • Deixe um Comentário

Aeroporto Internacional Salgado Filho) - Porto Alegre (RS).jpg

Desde o começo deste mês, passageiros que desembarcarem nos Terminais 1 e 2 do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), podem desfrutar de mais uma comodidade: o POA Express Airport Bus, um serviço de transporte integrado por três ônibus que saem do aeroporto e circulam por 20 hotéis da Zona Sul da cidade, tendo como ponto final o Hotel Blue Tree Tower Millenium, no bairro Praia de Belas.

O trajeto do Sul/Norte inclui ainda paradas para embarque e desembarque na Churrascaria Galpão Crioulo e no Shopping Praia de Belas, além de passar pelo Largo Vespasiano Julio Veppo, pela região da Estação Rodoviária e pelo Centro Histórico de Porto Alegre. Com tarifa fixada em R$ 8, os ônibus estão equipados com ar condicionado, wi-fi, bagageiro, banheiro, calefação e rastreadores.

onibus

O novo serviço cumpre uma tabela horária de circulação que considera o fluxo de voos do aeroporto gaúcho. Assim, o primeiro ônibus parte do Hotel Blue Tree Tower Millenium às 4 horas em direção ao Salgado Filho com previsão de chegada às 5h15. Já a primeira saída do terminal aeroportuário em direção ao centro da cidade ocorre às 6 horas, chegando ao bairro Praia de Belas às 7h15. O último horário de saída do hotel é às 22 horas, enquanto do aeroporto é às 23h30.

Aeroporto Internacional de Manaus (AM).jpg

Também o Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes (AM) está com novidades: acaba ­­de ganhar uma Duty Free Americas (DFA), a primeira free shop que segue o conceito “livre de impostos” do aeroporto amazonense. A iniciativa faz  parte de  um contrato iniciado em 2016, que prevê a atuação da DFA por dez anos, injetando R$ 2,7 milhões por ano na receita do aeroporto.

dfa-sao-paulo-congonhas

A recém-inaugurada Dutry Free Americas funciona na ala internacional do Eduardo Gomes, onde suas lojas comercializam produtos importados com valores inferiores aos praticados nas lojas de shopping. Isso é  possível porque todos os itens são vendidos com isenção (duty free) ou redução de impostos (duty paid). Entre os produtos de marcas internacionalmente conceituadas encontrados na DFA estão eletrônicos, bebidas, joias, perfumes, roupas, calçados e alimentos, como chocolates, biscoitos e outras guloseimas.

Celebrações de fim de ano em Quito

•Dezembro 13, 2016 • Deixe um Comentário

quito-noite-no-centro-historico-foto-wikimedia

A exemplo da maioria das cidades do mundo, a capital do Equador promove neste mês muitas festividades, celebrações e eventos público para festejar o Natal e o Réveillon. Se você está de malas prontas ou pretendendo ir a Quito, cidade milenar que mescla a arquitetura pré-colombiana e a colonial com suas construções e igrejas desenhadas pela colonização espanhola, saiba que esta é uma excelente oportunidade para celebrar as festas e conhecer bem de pertinho a rica cultura e as tradições locais.

quito-equador-igreja-la-merced-centro-historico-foto-pixabay

Além de poder participar dos mais de 300 eventos programados para este de fim de ano e presenciar a belíssima decoração natalina, você, durante todo este mês, tem a chance de conhecer lugares da cidade que normalmente não são abertos ao público. Caso de vários conventos e igrejas que, em dezembro, abrem suas portas para visitantes. O Convento Carmen Bajo é um deles.

Monastério Carmen Bajo - Centro Histórico de Quito  - Foto Wikipedia.JPG

Reunindo mais de 500 imagens, o convento é o “proprietário” de uma das maiores e mais bonitas cenas natalinas da capital. Imperdível também é a cena natalina de quase 20 metros que adorna o mirante natural das alturas de El Panecillo. Por isso, se tiver um tempo livre, não deixe de dar uma esticada até lá – está localizado no alto de uma montanha e não fica muito longe da capital.

cerro-panecillo-quito-equador-foto-ikimedia

Não deixe de provar os doces tradicionais de Natal de Quito. Preparados nos lares das famílias quitenhas, conservam as tradições e receitas guardadas há séculos pelas famílias, podendo ainda ser encontrados nos hotéis e restaurantes da cidade, que elaboram um cardápio especial para comemorar a data.

Entre as tentações, destaque para os buñuelos (bolinhos fritos de farinha de trigo que são banhados com mel de cana de açúcar) e o figo com queijo. Ainda verde, a fruta é cozida com mel de cana de açúcar e canela. Depois, é servido com queijo fresco para equilibrar os sabores.

doce-de-figo-com-queijo-foto-turismo-quito

Integram ainda as tradições gastronômicas natalinas de Quito, a compota ou doce de tomate de árvore e os manjares. O primeiro é feito a partir do cozimento do fruto ainda preso no talo, resultando na extração de um xarope que ainda quente é misturado ao cravo.

Já o segundo segue a receita original de seus criadores, as freiras dos conventos da cidade. Mas há ainda as mistelas (caramelo recheado com licor), chicharrón de coco, obleas (biscoitos grandes recheadas com doces de frutas), bolos variados, figos confitados, torrones e alfajores.

Você vai pode experimentar esses e outros doces natalinos em diversos lugares do centro histórico de Quito, principalmente em festivais de fim de ano. Quando estiver por ali, inclua em sua viagem gastronômica a espumilla de goiaba (clara de ovos com confeitos), o rosero quitenho (ponche com leite, ovo e canela) e as quesadillas doces, acompanhadas de leite com chocolate.

quito-rua-garcia-moreno-foto-wikimedia

NA HORA DAS FESTAS, não deixe de participar das celebrações de Réveillon em Quito, ali chamado de Noche Vieja. Entre as tradições que os equatorianos seguem na passagem do ano está o Anõs Viejos. Realizado no primeiro minuto do ano que está começando, o ritual consiste em queimar bonecas feitas com roupas usadas, papel machê ou madeira para apagar os fracassos do ano que se passou.

Outro costume típico seguido pelos equatorianos na última noite do ano é andar um quarteirão com uma mala vazia, garantindo um próximo ano repleto de viagens. Rituais e tradições à parte, muitas agências de viagens disponibilizam pacotes com hospedagens e café da manhã para a temporada de fim de ano, com direito a vivenciar essas e outras inesquecíveis experiências. Caso da Stella Barros (https://stellabarros.com.br) e da Numatur (http://numatur.com.br).

De modo geral, os roteiros de sete noites dessas agências incluem passeios em Quito, Riobamba e Cuenca. Só para te dar um exemplo, o roteiro conta com visita ao monumento Mitad del Mundo (Metade do Mundo), que demarca o ponto exato onde a linha do Equador atravessa o país, dividindo o Hemisfério Norte e o do Sul. Há ainda o passeio pela Avenida dos Vulcões, cartão postal de Quito.

vulcao-cotopaxi-quito-foto-wikimedia

Por essa extensa estrada espalham-se mais de 70 vulcões (alguns inativos). Eles fazem parte da Cordilheira dos Andes no Equador e foram formados pelo choque das placas tectônicas do Oceano Pacífico com as placas continentais. A lista dos vulcões mais altos do Equador é extensa (dez deles estão acima dos 5.000 m) e será impossível conhecer todos em uma única viagem.

fauna-equatoriana-foto-site-descubra-quito

Assim, saiba que se adquirir os pacotes dessas agências, você terá direito a admirar pelo menos dois deles: os imponentes e ainda ativos Cotopaxi (5.897 m) e Chimborazo (6.310 m). Além da visita aos vulcões, os pacotes incluem ainda um tour ao lindo Parque Nacional de Cotopaxi, com suas exuberantes fauna e vegetação endêmicas.

SERVIÇO

www.descubraquito.com.br

Dicas úteis para quem está indo para a República Tcheca

•Dezembro 11, 2016 • Deixe um Comentário

natal-em-praga-foto-martin-marak-1

A República Tcheca, assim como vários países da Europa, é famosa pelos mercados e feiras que abriga no período do Natal, quando as cidades se cobrem de neve e de absoluta magia. Se você vai viajar no fim do ano para lá, não pode deixar de conhecer um deles. Antes de embarcar, porém, fique por dentro de algumas dicas que podem ser úteis em sua viagem.

A maioria dos mercados de Natal que se celebram em Praga e em outras cidades do país, como em Olomouc e Český Krumlov, abre suas portas na última semana de novembro e permanece aberta até, pelo menos, o dia 1º de janeiro. Como charme a mais, exibem luzes coloridas e belíssima decoração natalina, além de oferecer música e ricos aromas. Por isso, é bom “ligar” os seus cinco sentidos para não perder nenhum detalhe.

natal-em-olomouc-foto-milan-jaros

Se o seu destino é a pulsante Praga, aproveite que está na cidade favorita de Mozart e não deixe de assistir os concertos e as apresentações de balé, de dança e  de corais natalinos, espetáculos que também se multiplicam em todos os pontos do país. Além das casas de shows e dos teatros, você tem ainda a chance de desfrutar gratuitamente de excelentes apresentações feitas por músicos de diferentes estilos em uma simples caminhada pelas ruas centrais e pelos principais pontos turísticos das cidades  tchecas.

natal-em-praga-foto-martin-marak-2

Programe-se e vá visitar os presépios que adornam diversas igrejas. Por ironia, o país onde 70% da população é composta de ateus, as igrejas e as sinagogas são uma atração à parte, quer pela beleza, quer pela importância histórica. Em Praga, muitas igrejas podem ser visitadas sem custo algum. Caso das de São Nicolau e de Nossa Senhora de Tyn.

Também não é preciso desembolsar um único centavo para conhecer a Igreja de Nossa Senhora da Glória. É lá que fica a imagem do Menino Jesus de Praga. Ela se encontra no altar lateral direito e divide o espaço com uma réplica de Nossa Senhora Aparecida, um presente do ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, em uma visita ao país.

sinagoga-velha-nova-de-praga-foto-wikimedia

Construída em meados do século 13, a Sinagoga Velha Nova também merece a sua atenção. Em estilo neogótico, chamava-se originalmente “Nova” ou “Grande” Sinagoga, em oposição ao antigo templo, que não foi conservado. Na mesma área fica o Velho Cemitério Judaico, com mais de 12 mil lápides que correspondem a cerca de 100 mil pessoas que ali foram sepultadas desde o século 13 até o final do século 18.

natal-em-olomouc-foto-divulgacao-czechtourism

NA HORA DE COMER, as feiras de Natal são uma boa opção – em Praga, o maior e mais tradicional mercado de Natal fica na Praça da Cidade Velha. Independentemente da cidade, as feiras natalinas  oferecem tentações que vão dos  knedlíky (bolinhos de farinha de vários tipos com vários ingredientes) e deliciosos doces com mel, amêndoas e nozes até as receitas típicas da cozinha tcheca, baseada em molhos, batatas e  carne de porco, com bastante gordura e calorias para sobreviver ao frio rigoroso do Inverno. O “Svicková na Smetaně”, por exemplo, é um dos mais tradicionais da gastronomia do país.

svickova-na-smetane-foto-site-insiderpraga-com-br

O prato é composto por fatias de carne assada acompanhadas por molho smetaně (muitas pessoas traduzem como creme de leite, mas é algo bem diferente, típico em muitos países eslavos). É servido com uma porção de geleia de amora e acompanhado de pão especial, o houskové kinedly. Para combater o frio, há ainda os caldos e as sopas, cujo principal ingrediente pode ser a carne ou os legumes. Entre as receitas típicas, destaque para as sopas de batata e de gulash, que é servida dentro de um pão redondo.

Quanto às bebidas, visitar a República Tcheca e não experimentar a cerveja é praticamente cometer um pecado mortal. Orgulho nacional e a bebida preferida dos seus habitantes, o país conta com inúmeras cervejarias que produzem a sua própria marca, como a U Fleku, que produz a cerveja escura desde 1499, e a U Pinkasú, antiga e popular desde 1843.

cerveja-tchecas-foto-site-paraviagem-com-brdicas-de-sobrevivencia-para-quem-vai-a-praga-005

Presente nas prateleiras dos barzinhos, dos restaurantes, das casas noturnas e das cervejarias (em Praga existem muitas delas), a bebida também não pode faltar em qualquer mercado de Natal que se preze. Saiba que a cerveja theca é boa e custa bem mais barato que a água. É degustada a toda hora, tanto de dia como de noite.

Se você é um dos amantes da bebida e puder dar uma esticada, visite a cidade de Plzen que é internacionalmente conhecida por sua cerveja vermelha, a Pilsner Urquell. Situada a menos de 100 quilômetros de Praga, Plzen se orgulha de ter produzido a primeira cerveja tipo pilsen do mundo, nos idos de 1842. Sua fábrica ainda está lá, em plena produção. É lá que é feita a Pilsner Urquell e também a Plznské Pivo.

cervejaria-pilsner-urquell-em-plzen-foto-wikimedia

Na República Tcheca também não deixe de experimentar o svařák (vinho quente), o grog (bebida feita à base de água quente, rum e açúcar) e o rum de mel. Além de te aquecerem do frio, essas bebidas vão deixar em seu paladar um agradável sabor de canela e especiarias que vão permanecer em sua memória para sempre. Inclua ainda em seu cardápio um cafezinho, que pode ser degustado nas feiras de Natal e nos inúmeros cafés que se espalham pelo país.

Em Praga, por exemplo, as cafeterias são um ponto de encontro social e cultural. O hábito de ir frequentar os cafés começou no século 18 e até hoje faze parte da vida da cidade. Eram neles que artistas e intelectuais como Franz Kafka, Rainer Maria Rilke e Albert Einstein e compositores como Bedřich Smetana e Antonín Dvořák se encontravam. Discutiam não só a arte, mas também os destinos da República Tcheca. Mais do que saborear um café forte e quentinho, esses intelectuais tornaram essas casas famosas.

ATRAÇÃO IMPERDÍVEL DE PRAGA, as cafeterias locais têm ares de modernidade, mas sem perder a áurea cultural dos anos passados. Caso do Café Savoy. Às margens de um dos principais postais da capital, o Rio Moldava, o café fica no térreo de um edifício art-nouveau, tem pé direito de sete metros e um bonito candelabro neorrenascentista.

Café Savoy - Foto Café Savoy.jpg

Aberto em 1893, foi ficando decadente com  o passar dos anos. Contudo, depois da Revolução de Veludo (um movimento não-agressivo ocorrido na extinta Tchecoslováquia em 1989 que ajudou a derrubar o governo comunista), a casa voltou a ser popular e um concorrido ponto de encontro. Além do café e de sobremesas, o Savoy  também serve almoços leves.

grand-cafe-orient-em-praga-foto-wikimedia

Já o Grand Café Orient funciona no primeiro andar do Black Madonna House, um edifício projetado em 1912 por Josef Gočár, o pai do cubismo tcheco. O café não é cubista apenas em sua fachada, mas também em seu interior – seu balcão e mobília foram criados por Gočár, assim como os lustres e as arandelas cubistas. É famoso pelo strudel de maçã servido com calda de caramelo e sorvete de baunilha, milkshakes e capuccino.

Café Slavia em Praga.JPG

Por sua vez, o Café Slavia é um dos mais antigos e visitados cafés da capital. Inaugurado em 1863 e localizado no lado oposto ao Teatro Nacional, tornou-se ponto de encontro de artistas e intelectuais. É decorado em estilo art-decô e, de suas amplas janelas, você vai ter uma belíssima vista do Castelo de Praga, do Teatro Nacional e da Ponte Carlos enquanto degusta um cafezinho. Ou, se preferir, saboreia chocolate quentinho e as famosos panquecas doces e salgadas da casa.

vista-do-cafe-slavia-em-praga

Nem só de cores e sabores vive a República Tcheca. O país também é mundialmente conhecido pelos delicados cristais e porcelanas que produz. Se você pretende comprar um presente, os mercados tchecos são o endereço certo. Comercializam estes e muitos outros produtos, incluindo adornos artesanais natalinos, como enfeites para a árvore de Natal elaborados em cristal, palha ou madeira.

Aliás, as opções são muitas e acho que será muito difícil você resistir e deixar de comprar um ou mais itens. Entre as tentações oferecidas pelos mercados e feiras de fim de ano, você vai “enlouquecer” ao se deparar com os caprichados presépios, toalhas de mesa com motivos natalinos, velas feitas com cera de abelha, sinos e ferraduras fabricadas no local por autênticos ferreiros da República Tcheca. E estes são apenas alguns exemplos. Feliz Natal!

Florianópolis, muito além das praias

•Dezembro 3, 2016 • Deixe um Comentário

Para quem gosta de história, o centro da capital de Santa Catarina é um prato cheio. Local onde a cosmopolita metrópole nasceu em meados do século 17, a região abriga incontáveis preciosidades. E, acredite, vale muito a pena conhecê-las.

praia-mole-florianopolis-brasil-foto-commons-wikipedia

Se você está passando uns dias ou pretende ir para lá, saiba que Florianópolis é muito mais do que a hipnotizante beleza de suas praias. Reúne em seu solo a exótica natureza da Mata Atlântica, cenários caribenhos e cantinhos ricos em costumes e tradições culturais. Não é só. Sua gastronomia é impecável e a vida noturna, efervescente.

santo-antonio-de-lisboa-construcoes-acorianas-em-florianopolis-sc-foto-cotidiano-ufsc

Mas o assunto é  história. E se você é, de fato, apaixonado pelo tema, preste atenção: Florianópolis abriga muitas preciosidades, entre fortalezas edificadas nos tempos do Brasil Colônia, sítios arqueológicos com inscrições e pinturas rupestres, museus e igrejas. É o lar ainda dos charmosos Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha,  antigos “vilarejos” onde permanece intacta a cultura de seus colonizadores: os açorianos.

ribeirao-da-ilha-foto-floripa-premium

Se a sua passagem pela capital catarinense será  curta e  você quer conhecer um pouco sobre a sua história, o centro é uma boa opção, concentrando atrações que datam da época da fundação da ilha. Percorrer suas ruas, desvendar o passado da cidade, fazer compras em suas alegres feirinhas de artesanato e saborear comidinhas e drinques nos bares que se espalham pela região é uma experiência inesquecível.

a-arquitetura-acoriana-e-visivel-em-muitos-locais-de-florianopolis-estas-sao-casas-em-santo-antonio-de-lisboa

Seu passeio pode começar na Praça 15 de Novembro, que está localizada exatamente no lugar onde a cidade nasceu e se desenvolveu a partir de 1651, ano em que o bandeirante Francisco Dias Velho fundou a então Vila Nossa Senhora do Desterro. Foi arborizada durante o século 19, passando a ser o lar de árvores de grande porte, como palmeiras imperiais, fícus indianos e cravos-da-Índia.

mosaicos-no-chao-da-praca-15-de-novembro-florianopolis

Tem como principal atração uma figueira centenária, um ponto de parada obrigatório para os turistas – ali se aglomeram para dar três voltas ao seu redor, acreditando que isso os fará voltar à cidade. A gigantesca árvore foi plantada em 1871 no terreno da Catedral Metropolitana. Dez anos depois, em 1881, foi transferida para o centro da praça, no local onde ficava um cemitério de mais de dois séculos.

Figueira da Praça 15 de Novembro - Florianópolis - SC - Foto Camila Valerim - Flickr.jpg

Outro charme da praça são os mosaicos de pedras portuguesas no piso. Eles formam figuras folclóricas da Ilha de Santa Catarina, descrevendo também cenas do cotidiano da cidade. Foram criados pelo artista plástico Hassis, falecido em 2001. Espalhados pelo local encontram-se ainda um monumento para os heróis mortos na Guerra do Paraguai e bustos que homenageiam catarinenses famosos, como o poeta Cruz e Sousa e o pintor Victor Meirelles, por exemplo.

No alto da praça está a Catedral Metropolitana, que substituiu a antiga capela erguida em 1651, por ordem do bandeirante e fundador do povoado, Francisco Dias Velho. O interior da igreja, construída entre 1753 e 1773, abriga pinturas como “A Fuga para o Egito” (1902) e a “Via Sacra” (1903), além de um órgão de tubos de 1924. Em 1922, a catedral foi ampliada e recebeu as duas torres com o carrilhão com cinco sinos.

palacio-cruz-e-sousa-florianopolis

Em uma rua lateral à praça, você encontra o suntuoso Palácio Cruz e Souza, assim batizado em homenagem ao poeta simbolista nascido na ilha. Construído entre 1750 e 1765, foi o local dos despachos oficiais e residência dos governadores do Estado até 1954. Transformado em museu em 1986 com a transferência do Museu Histórico de Santa Catarina para o seu interior, o lindo sobrado colonial tem escadarias de mármore, pisos em parquet, colunas em estilo neoclássico, esculturas e pinturas no teto.

No outro lado da rua fica a Casa de Câmara e Cadeia. Erguida entre 1771 e 1780 e com paredes de pedras argamassadas com óleo de baleia, areia e cal, é considerada uma das importantes edificações da arquitetura civil do século 18. Desempenhou importante papel no contexto político e social da cidade. Ali foram empossados os presidentes da província e aconteciam bailes e festas oficiais. Serviu como cadeia para infratores da lei. Hoje, o prédio passa por reformas para receber o Museu da História de Florianópolis.

casa-da-alfandega-florianopolis

A poucos passos da praça estão a Casa de Alfândega e o Mercado Público Municipal. Tombado pelo Iphan, o primeiro é reconhecido como um dos raros exemplares da arquitetura colonial portuguesa do Brasil. Inaugurado em 1876, somente foi ocupado em 1877. Em 1866, uma explosão destruiu totalmente o edifício de dois andares.

O prédio voltou a ser reconstruído em 1879, por ordem do presidente das províncias de Santa Catarina e do Espírito Santo, João Tomé da Silva. Em 1964, o porto fechou e a alfândega foi desativada. Agora, abriga um centro de artesanato, onde diariamente cerca de 120 artesãos de diferentes regiões do Estado demonstram as suas mais variadas técnicas aos visitantes, que testemunham de perto o processo de produção e a confecção de peças.

mercado-municipal-de-florianopolis-foto-commons-wikipedia

Já o mercado é um dos badalados points de encontro e de paquera de Florianópolis. Frequentado pela moçada descolada, é repleto de animados barzinhos que servem bolinhos de bacalhau, pastéis de camarão e outros irresistíveis petiscos, além de cervejas e cachaças produzidas no Estado. Caso do Rancho da Ilha, onde essas e mais delícias podem ser experimentadas. Em dias úteis, os bares funcionam das 10 às 22 horas e, nos fins de semana e feriados, até às 17 horas.

Agito e azaração à parte, o mercado começou a ser planejado em 1845, quando o Imperador Dom Pedro 2º visitou a província e o pescado era vendido em tendas em praça pública. Sua construção apenas foi iniciada depois de dois anos. O mercado ficou pronto em 1851, mas foi demolido porque sua estrutura estava comprometida. Foi reconstruído e inaugurado em 1899. Passou por outra reforma em 2005, quando um incêndio devastou a ala norte.

Posteriormente, o mercado foi submetido a novas obras, mas preservou os conceitos arquitetônicos e o estilo neoclássico de sua construção original. Atualmente, possui 112 boxes, entre bares, restaurantes, peixarias, frutarias, açougues e lojas que vendem legumes, utensílios domésticos, roupas e artesanato. De segunda a sexta-feira é aberto das 7 às 19 horas. Aos sábados, funciona das 7 às 14 horas e, aos domingos e feriados, das 7 às 13 horas.

teatro-alvaro-de-carvalho-florianopolis-brasil

Também no centro histórico ficam o Teatro Álvaro de Carvalho, a Casa de Victor Meirelles e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Sebastião dos Homens Pretos. O primeiro foi construído em 1854 e chamava-se Teatro Santa Isabel. Mais tarde foi rebatizado com o atual nome, em homenagem ao dramaturgo e militar que morreu na Guerra do Paraguai.

Já a casa onde nasceu Victor Meirelles (1832/1903) guarda obras históricas e objetos que fizeram parte da trajetória do pintor. Entre elas, as telas “A Primeira Missa no Brasil” (1861) e “Batalha de Guararapes” (1875/1879). Por sua vez, a igreja foi construída por uma confraria fundada por escravos em 1750. Tem arquitetura em estilo barroco e é uma das mais antigas da ilha – foi erguida pelos negros entre 1787 e 1830.

Esses são apenas alguns dos tesouros do centro histórico de Florianópolis. Com um mapa da cidade em mãos (facilmente obtido na recepção de hotéis, nos centros de informação turística e nas agências de turismo) e boa disposição para percorrer a região e em uma caminhada mais prolongada, é possível desvendar muitas outras de suas preciosidades. Boa jornada!

SERVIÇO

Catedral Metropolitana – Praça 15 de Novembro, tel. (48) 3224-3357, centro, Florianópolis.

Palácio Cruz e Souza – Abriga o Museu Histórico de Santa Catarina. Praça 15 de Novembro, 227, centro, Florianópolis.

Casa de Câmara e Cadeia – Praça 15 de Novembro, centro, Florianópolis.

Casa de Victor Meirelles – Rua Victor Meirelles, 59, tel. (48) 3222-0692, centro, Florianópolis.

Mercado Público Municipal – Rua Jerônimo Coelho, 60, tel. (48) 3225-8464, centro, Florianópolis.

Casa da Alfândega – Rua Conselheiro Mafra, 141, tel. (48) 3665-6097, centro, Florianópolis. Teatro Álvaro de Carvalho – Rua Marechal Guilherme, 26, tel. (48) 3665-6400, centro, Florianópolis.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Sebastião dos Homens Pretos – Rua Marechal Guilherme, 60, tel. (48) 3223-7572, centro, Florianópolis.