Monte Verde é ideal para curtir o Inverno em meio à natureza

O ar puro das montanhas e cenas cinematográficas fazem parte do cotidiano do vilarejo de Minas Gerais. Foto: Companhia de Passeios 4 x 4

 

O Inverno chegou tingindo o calendário do Hemisfério Sul com baixas temperaturas. Que tal programar uma viagem para a pequenina Monte Verde, no distrito de Camanducaia, em Minas Gerais? Se você gosta de frio, esse é um endereço perfeito: nessa estação do ano, o termômetro do vilarejo registra um dos climas mais gelados da região Sudeste do Brasil. Somado ao clima, tem ainda o ar puro das montanhas, a natureza exuberante, a gastronomia diversificada, vinhos, cervejas artesanais e variadas opções de hospedagem. Com tudo isso, a cidadezinha é uma boa pedida, certo? Então, prepare as malas!

Monte Verde Mirian Ribeiro

Distante 166 km de São Paulo (SP) e a 480 km de Belo Horizonte (MG), o vilarejo mineiro é conhecido por seu “clima europeu”. Localizada a mais de 1.600 metros de altitude, a miniatura de cidade é abraçada pelas montanhas da Serra da Mantiqueira, e atrai casais que estão em busca de sossego e romantismo. Com mais de 150 opções de hospedagem, entre hotéis e pousadas, Monte Verde pode acomodar em torno de 12 mil turistas (mais do que o dobro do número de habitantes da cidade, que não ultrapassa a cinco mil).

Avenida principal de Monte Verde Foto NaturamA movimentada (e principal) avenida da cidadezinha mineira. Foto: Naturam

 

O clima do pequeno povoado das Gerais é frio e seco. Por isso, não se esqueça de levar em sua mala meias e roupas quentinhas de Inverno, estação do ano em que as temperaturas na vila frequentemente atingem marcas abaixo de zero (podem registrar até 10°C negativos). Não chega a nevar, mas, logo cedo,  você verá uma paisagem totalmente coberta de uma camada de geada semelhante a uma nevasca – algo nada comum no clima tropical do Brasil.

Baixas temperaturas são comuns no distrito de Camanducaia. Foto: Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde

 

A boa pedida, claro, é namorar em frente à lareira, saboreando uma fondue ou o pinhão. Fruto das araucárias abundantes nas montanhas, o último integra o menu dos bares e restaurantes do vilarejo especialmente na época da colheita (de abril a agosto), quando também é adicionado em pães e farofas.

A gastronomia de Monte Verde é um charme à parte e bastante variada. Além da típica comida mineira, como o leitão à pururuca, a cidadezinha possui muitos bares e restaurantes onde é possível conhecer os sabores do mundo, sobretudo alguns pratos de origem europeia, um fato motivado pela sua colonização. Os primeiros moradores, o casal letão Verner Grinberd e Emilia Grinberd, foram seguidos por outros letões, alemães, suíços, italianos e portugueses…

Não é tudo. No restaurante Paulo das Trutas, por exemplo, você pode ver a criação e experimentar receitas com trutas pescadas e preparadas na hora. Também não deixe de provar nos bares e restaurante locais a carne de javali, os diferentes tipos de queijos, doces caseiros, vinhos, cervejas e licores, que você poderá levar para casa para se presentear e aos seus familiares e amigos.

Um dos trutários do restaurante Paulo das Trutas. Foto: Divulgação

 

Embora pequenina, Monte Verde oferece muitas opções de lazer, principalmente as ligadas ao turismo ecológico. Você pode começar o passeio com uma caminhada pela manhã, já que o ar puro das montanhas e a mata exuberante da Mantiqueira são um convite ao trekking. A cidade possui oito trilhas principais e você pode começar pela Trilha do Pinheiro Velho, que começa na avenida principal e termina no aeroporto.

Apesar de ter somente uma pequena pista e um hangar, o aeroporto de Monte Verde é o mais alto do Brasil, a 1.600 metros de altitude. Nesta trilha, há um mirante, de onde se tem a melhor vista panorâmica de toda a vila, com as montanhas ao fundo. Lá, do alto, você ainda verá o mais antigo pinheiro de Monte Verde, com mais de 500 anos.

Para chegar ao topo da pedra conhecida como Chapéu do Bispo, que fica a 2.030 metros de altitude, há uma trilha de aproximadamente uma hora. Outra trilha bacana é a que leva ao topo da Serra da Mantiqueira, que fica exatamente na divisa entre Minas Gerais e São Paulo. Lá de cima, dá para ver toda a cidade de Monte Verde, além de Campos do Jordão e outras cidades do Vale do Paraíba.

Para fazer essas trilhas, não é necessário acompanhamento de guia, porque são todas leves, mas não deixe de usar um tênis confortável (e velho), porque o barro e a lama fazem parte da caminhada. Não se esqueça também de se manter hidratado e de usar protetor solar.

Esquilos são alguns dos moradores habituais de Monte Verde. Foto: Companha 4 x 4

 

Mas, se você gosta de uma caminhada mais longa e pesada, pode fazer a trilha que liga Monte Verde a São Francisco Xavier. O trajeto dura aproximadamente cinco horas e meia e deve ser feito com um guia local, já que há trechos que ficam no interior de propriedades particulares e que têm muitas bifurcações – você não vai querer se perder, né?

Você pode fazer algumas trilhas pilotando quadriciclos, motos, jipes ou mesmo de mountain bike ou a cavalo. Tudo pode ser alugado na cidade. Em Monte Verde, você ainda pode praticar montanhismo, arvorismo, rapel, paintball e patinação no gelo. Há uma pista que funciona o ano inteiro. Esse ano a cidadezinha vai ganhar também um bar de gelo, prometido para a primeira semana de julho.

Monte Verde é ideal para passar um fim de semana ou um feriado prolongado, aproveitando para respirar o ar puro das montanhas e relaxar a vista com paisagens surreais!

 

SERVIÇO

COMO CHEGAR

De São Paulo a Monte Verde: siga em direção a Guarulhos (SP) pela Via Dutra. Na altura do km 13, entre na Rodovia Fernão Dias (BR-381) e siga até a cidade de Camanducaia (saída 918). De lá, acompanhe as placas de sinalização. São mais 30 km de estrada asfaltada até atingir o portal da cidade e a principal avenida da vila.

Saindo do Rio de Janeiro: pegue a Via Dutra até Jacareí (SP), entre na Rodovia D. Pedro I. Em Atibaia (SP), entre à direita na Rodovia Fernão Dias, continuando até Camanducaia.

De Belo Horizonte (MG) para Monte Verde: saída pela Avenida Amazonas, sentido São Paulo, até Camanducaia.

Embora não tenha uma rodoviária, o transporte público é uma alternativa para quem quer ir até Monte Verde. Existem linhas diretas entre São Paulo e Camanducaia, em um percurso de pouco mais de duas horas. De Camanducaia ao distrito, há sete horários disponíveis durante o dia, com a duração da viagem estimada em 50 minutos.

 

O QUE FAZER

Centro comercial – Além dos bares e restaurantes, Monte Verde possui um movimentado centrinho comercial. Pelas suas pequenas ruas espalham-se charmosas lojas com boas opções de compras de comidas, malhas e artesanato. Chocolates, geleias, compotas de fruta, doces de leite, queijos, chutneys e cachaças de alambique são algumas das delícias que podem ser saboreadas ali ou levadas para casa.

Mirian RibeiroCharmosas lojas colorem o centrinho comercial da vila. Foto: Mirian Ribeiro

 

Trilhas – As caminhadas (trekking) pelas trilhas situadas ao redor de Monte Verde têm diferentes níveis de dificuldade. A região abriga cinco picos principais: Pedra Redonda (a mais popular, com 1.950 m de altitude), Pedra Partida, Chapéu do Bispo, Pico do Selado e Platô.  Neles, existem trilhas que podem ser percorridas por iniciantes ou especialistas.

Quadriciclos e jipes – São uma atração à parte de Monte Verde, Os passeios são disponibilizados nas agências de turismo da cidade.

Rafting – Para quem gosta de adrenalina, o Rio Jaguari é o endereço certo.Suas águas favorecem a prática do rafting e do acquaride, também conhecido como boia cross.

Cavalgadas – Existem vários lugares no vilarejo onde é possível alugar cavalos, incluindo animais bem mansos.

 

ONDE FICAR

Pousada Pedras e Sonhos – É cercada por enorme área verde preservada e oferece uma das mais fascinantes vistas dos seus cinco chalés decorados no estilo minimalista, com hidromassagem, persianas automáticas, frigobar, lareira, TV a cabo, aquecimento central e isolamento térmico-acústico. Na propriedade, há jardim de inverno panorâmico, trilhas pela Mata Atlântica, a exclusivíssima Casa da Pedra, com trilha e bosque privativo, deck para pequenos eventos e o restaurante Café com Arte, que serve café da manhã em estilo colonial e cardápio internacional.

 

 

Pousada Jardim da Mantiqueira – Tem como conceito principal conectar os clientes com a natureza: observar pássaros, borboletas ou esquilos e, à noite, admirar as estrelas do intenso céu azul nas panorâmicas varandas das suítes, que se projetam no bosque de araucárias e bromélias ao redor. Por pequenas alamedas arborizadas, chega-se aos charmosos chalés, cercados de muito verde, com jardins coloridos.

 

ONDE COMER

Armazém Monte Verde Restaurante – Com aquecedores internos e externos, a casa de caprichada decoração oferece rodízio de fondues, além de pratos inspirados nas cozinhas alemã, italiana e mineira. Entre as tentações, sopas e cremes, como o caldo verde no pão italiano; e carnes, como a Picanha Mineira, servida com arroz, tutu de feijão, mandioca e couve. O cardápio inclui ainda receitas preparadas com aves, peixes e frutos do mar.

Restaurante Armazem - Monte Verde.jpgRestaurante Armazém: atendimento impecável e ambiente acolhedor e aconchegante. Foto: Reginaldo Pupo

 

Na entrada, pães caseiros servidos com três tipos de patês e manteiga. Ou, linguiça recheada com provolone, acompanhada por farofa, vinagrete e mostarda alemã. Nos fins de semana, feriados e na temporada de Inverno,a casa é embalada por música ao vivo. Av. Monte Verde, 760, tel. (35) 3438-2009, armazemonteverde.com.br.

 

Comida mineira é um dos destaques do Armazém Monte Verde Restaurante. Foto: Divulgação

 

Restaurante Trás os Montes – A comida portuguesa dá o tom desta aconchegante casa, cujo menu   exibe pratos como o Bacalhau à Portuguesa, alheiras e diferentes opções de peixes e frutos do mar. Av. Monte Verde, 845, piso superior, tel. (35) 3438-1699, facebook.com/trasosmontesrestaurante.

 

Prato servido no Restaurante Trás os Montes. Foto: Agência Newsfacto   

 

Paulo das Trutas – Tem um trutário, onde “pesca” os peixes servidos em seus dois endereços: o restaurante da Rua da Floresta, 810, onde faz a criação de trutas. A outra casa funciona na Av. das Montanhas, 120. Site paulodastrutas.com.br.

 

~ por Fabíola Musarra em Junho 24, 2019.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: