Conhecer o Pantanal e as Cataratas do Iguaçu vai ficar mais fácil

A partir de dezembro, os dois dos mais fascinantes ecossistemas brasileiros estarão interligados por voos diretos.

 

Por Fabíola Musarra

Cataratas do Iguaçu - Foz do Iguaçu - Foto WikimediaAs Cataratas do Iguaçu, na fronteira entre Brasil e Argentina, detêm o recorde de maior queda de água em volume do mundo, com cerca de 270 cachoeiras de 60 a 82 m de altura.

 

A Azul Linhas Aéreas já está comercializando o novo voo direto entre Campo Grande,  a capital do Estado de Mato Grosso do Sul, e a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná. A frequência que vai conectar diretamente dois dos mais importantes polos de ecoturismo do Brasil começa a operar na segunda quinzena do mês de dezembro, facilitando a entrada de turistas estrangeiros que embarcam na cidade paranaense para conhecer as irretocáveis belezas sul-mato-grossenses, como o Pantanal e Bonito.

Gruta do Lago Azul em Bonito    Gruta do Lago Azul em Bonito, no Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Wikimedia

Com saídas diárias às 19 horas, o voo AD9090 fará o trecho Campo Grande (MS) a Foz do Iguaçu (PR), enquanto o voo AD9091 fará o trajeto inverso, partindo de Foz do Iguaçu rumo a Campo Grande, com saídas às 8h30. Mato Grosso do Sul é uma das casas do Pantanal no Brasil. Guardião de uma das mais exuberantes e diversificadas reservas naturais e espécies de fauna e flora do planeta, o Pantanal é um Patrimônio Natural da Humanidade da Unesco e um dos ecossistemas mais ricos do planeta.

Tamanduá

Berçário e um gigantesco laboratório de pesquisas para a preservação de espécies ameaçadas de extinção, o Pantanal estende-se aproximadamente 228 mil quilômetros quadrados pelos territórios do Mato Grosso (região sul), Mato Grosso do Sul (noroeste), Paraguai (norte) e Bolívia (leste). Mato Grosso do Sul  é o detentor da maior parte desse ecossistema brasileiro, com cerca de 140 mil quilômetros quadrados, o que corresponde a 1,5 vezes o tamanho de Portugal ou – se preferir – o da Bélgica, da Suíça, da Holanda e de Portugal juntos.

tuiuiu

Paraíso para os observadores e fotógrafos da fauna e flora, o Pantanal sul-mato-grossense não só oferece boa infraestrutura de hotéis, de serviços e atendimento aos turistas como também investe na conscientização ecológica e na preservação das tradições da cultura do homem pantaneiro. Em 2015, foi eleito o quarto melhor destino para apreciação de vida selvagem no mundo.

Boiada sendo conduzida pelos pantaneiros

Por sua vez, Foz de Iguaçu, no Paraná, é o terceiro destino mais visitado por estrangeiros no País e o primeiro da região sul. Não por acaso. A encantadora cidade paranaense é conhecida internacionalmente pelas exuberantes e lindíssimas Cataratas do Iguaçu, uma das vencedoras do concurso que escolheu as Sete Maravilhas da Natureza.

Além do Parque Nacional Iguaçu e da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a segunda maior do mundo em tamanho e primeira em geração de energia, Foz de Iguaçu abriga ainda o Marco das Três Fronteiras, uma homenagem ao Paraguai e a Argentina, países ao lado dos quais integra a tríplice fronteira.

Marco das Três Fronteiras    Marco das Três Fronteiras em Foz do Iguaçu, no Paraná. Foto: Divulgação

Sonho – Antiga reivindicação do trade turístico de Mato Grosso do Sul, o novo voo da Azul Companhia Aérea é o primeiro resultado das negociações iniciadas com as companhias aéreas no primeiro semestre deste ano na WTM/LA, em São Paulo, uma das principais feiras de turismo da América Latina.

Para o diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur-MS), Bruno Wendling, a concretização dessa meta apenas foi possível graças aos esforços feitos em conjunto pela entidade que preside e a Secretaria de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, do Paraná.

Quati em Parque Nacional de Foz do Iguaçu - Foto Wikimedia    Quati, um dos “moradores” do Parque Nacional de Foz do Iguaçu. Foto: Wikimedia

“Com o início da operação da Azul Linhas Aéreas, esperamos obter um aumento de 20% do fluxo de turistas em nosso Estado, principalmente os visitantes vindos do Exterior, que até agora somente tinham a acesso a Mato Grosso do Sul pelas rodovias que interligam a cidade paranaense de Foz do Iguaçu a sul-mato-grossense Campo Grande”, finaliza o diretor-presidente da Fundtur-MS.

 

~ por Fabíola Musarra, jornalista e socióloga em Agosto 9, 2018.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: