Conheça o Sesc Serra Azul e mergulhe na natureza

Distante cerca de 100 km da capital de Cuiabá (MT), a unidade é um cantinho onde a flora e a fauna do cerrado ainda estão praticamente intocadas. É palco ainda de atividades radicais para ninguém botar defeito.

Por Fabíola Musarra

Sesc Serra Azul - Foto Sílvio Vince Esgalha

A vista se perde entre o intenso azul do céu e o verde da serra, ainda habitada pela intacta fauna e flora do cerrado. É neste miniparaíso do Estado de Mato Grosso, mais precisamente no município Rosário Oeste, que está instalado o Sesc Serra Azul, um empreendimento turístico que ocupa 5.700 hectares, uma extensa área que anteriormente abrigava uma fazenda. Embora ainda esteja em fase de implantação, a unidade funciona e está aberta diariamente ao público, das 9 h às 17 h.

Para o turista, sobretudo para aqueles que são apaixonados pela natureza e para os amantes de emoções fortes, a visita não é em vão. Ali fica uma lindíssima cachoeira, que também é um posto de observação natural das memoráveis paisagens do lugar. Depois de chegar lá, já aos pés da soberana cachoeira, os mais afoitos podem mergulhar e fazer flutuação nas azuis águas que deslizam do alto da serra.

Serra Azul - Flutuação - Foto Divulgação.jpg

Antes disso, porém, será preciso escalar mais de 460 degraus para chegar à cachoeira. Na hora de voltar, o trajeto será o mesmo, exceto para aqueles que curtem aventuras mais radicais. Estes podem embarcar a bordo de uma emocionante tirolesa de 50 m de altura, percorrendo os seus 700 m de extensão. A adrenalina é garantida.

Tirolesa no Sesc Serra Azul - Foto por Meneguini - Gcom-MT

Tirolesa no Sesc Serra Azul, de 50 m de altura e 700 m de extensão. Foto: Meneguini/Gcom/MT

Por enquanto, o passeio com cerca de duas horas de duração somente pode ser agendado nas agências locais. São disponibilizados quatro horários: 9 h, 10 h, 14 h e 15 h. Como o empreendimento é uma reserva ecológica e seu foco está essencialmente baseado na sustentabilidade e na preservação ambiental, cada grupo é limitado a até 25 pessoas.

Custa para adultos R$ 50 (visita à cachoeira) e R$ 80 (cachoeira mais tirolesa). Crianças de 6 a 10 anos pagam meia-entrada. O pacote é gratuito para os pequenos de até 5 anos. Futuramente, comerciários terão descontos.

Serra Azul - Foto Sílvio Vince Esgalha

“Ainda estamos em processo de mapeamento e de análise para conhecer o potencial desta área e suas características geográficas, geológicas, biológicas e paisagísticas para a implementação de novas atividades, pois apenas faremos intervenções e disponibilizaremos produtos que causem o mínimo de impacto à reserva”, explica Anderson Florêncio, chefe de Núcleo de Turismo da unidade.

Cachoeira do Sesc Serra Azul - Foto Sílvio Vince Esgalha

O Sesc Serra Azul, segundo Florêncio, tem potencial para explorar o espeleoturismo – atualmente, técnicos já catalogaram 13 cavernas, cinco das quais poderão ser abertas ao público. Também faz parte dos planos da unidade para um futuro não tão distante, a implantação de outras atividades direcionadas ao ecoturismo e turismo de aventura. Entre elas, boia-cross, cavalgada, balonismo, off-road 4 x 4, trilhas educacionais para crianças e fazendinha.

Diversas espécies, por sinal, vivem no empreendimento. Tamanduás-bandeira e cinzas, onças-pardas e negras, porcos queixada (javali brasileiro), macacos-prego e bugios, lobetes, antas, capivaras, jacarés e tatus-peba, galinhas e canastras são apenas alguns dos animais que convivem no interior da reserva.

Onça negra Foto pt.wikipedia.org

Também aves e cobras dividem o espaço do amplo território. São araras-azuis, canindés e vermelhas, tucanos, urubus-rei, pica-paus, emas, seriemas e tuiuiús (imigram para unidade, sobretudo, na época de seca no Pantanal), além de jararacas, boipevas, corais e cascáveis, entre outras espécies de cobras.

TUIUIUIU - Foto de Geraldo Lucio -Secretaria de Turismo do MT

Na época de seca no Pantanal, tuiuiús podem ser vistos na unidade. Foto: Geraldo Lúcio/Secretaria de Turismo do Mato Grosso

Quanto à flora, Florêncio assinala que, ao lado do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais da Ezalq de Piracicaba (SP), o empreendimento vem desenvolvendo estudos para efetuar o reflorestamento das áreas devastadas pela ocupação e atividades praticadas na antiga fazenda. “Nossa ideia é fazer de tudo isso aqui um jardim botânico do cerrado”, antecipa.

Parque Estadual Serra Azul (MT) - Foto Commons

 

Enquanto isso não acontece, o Sesc Serra Azul, em um prazo de 90 dias, deverá oferecer aos visitantes um imperdível day use, com atividades como o arco e flecha, o arborismo, o canoanismo e o cicloturismo. “Já até janeiro, fevereiro do ano que vem, o empreendimento deverá abrigar um restaurante e quiosques, oferecendo melhor infraestrutura aos turistas”, conta Marcelo Oliveira, um dos 11 funcionários que atualmente trabalham no Sesc Serra Azul. É aguardar e conferir!

Para mais informações, acesse http://www.sescpantanal.com.br

~ por Fabíola Musarra em Abril 23, 2016.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: