São Paulo – Terra da garoa e do mosteiro de missa com canto gregoriano

Mosteiro de São Bento visto do alto.png

Mosteiro de São Bento, no centro de São Paulo, visto do alto.

Se você está na cidade de São Paulo e tem um tempo livre, não deixe de ir conhecer o Mosteiro de São Bento, local que é guardião de mais de 400 anos de história e hospedou o papa Bento 14 durante a sua visita ao Brasil em 2007.

Situado bem pertinho da Catedral da Sé, outro ícone da capital paulista, o mosteiro da ordem beneditina abriga a Basílica de Nossa Senhora Assunção, um dos poucos lugares no Brasil onde você pode participar de uma missa que é acompanhada por um coral, cujo repertório é integrado exclusivamente por cantos gregorianos – essas celebrações religiosas são realizadas todos os domingos, às 10 horas.

Igreja do Mosteiro São Bento

Canto gregoriano do coral de monges beneditinos em missa dominical.

Não é só. Em sua visita, você vai poder conferir de perto as pinturas, os mosaicos, as esculturas e os vitrais que ornamentam todo o interior da imponente edificação – do chão ao teto. Eles são o resultado da combinação de elementos das artes egípicia, bizantina e romântica, característica típica do estilo arquitetônico alemão beuronense.

Baseadas na total integração entre a arte e a arquitetura, as construções projetadas neste estilo foram praticamente extintas durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, o mosteiro é um dos raros e um dos poucos exemplares remanescentes deste importante movimento artístico alemão.

Detalhe da decoração interior da Basílica.jpg

Detalhe da decoração interior da Basílica de Nossa Senhora Assunção.

No mosteiro vivem cerca de 40 monges. São esses religiosos que, com suas receitas seculares, produzem as guloseimas, as geleias, os pães, os bolos, os doces e outras tentações comercializados na loja ali existente.

Essas delícias também podem ser saboreadas em um brunch, que acontece em um único domingo por mês. Como a procura é grande, é preciso reservar com antecedência. O valor do brunch é de aproximadamente R$ 180 e inclui uma visita ao interior do prédio. Informações: http://mosteiro.org.br

Mosteiro de São Bento - Foto Rubens Chiri.jpg

Monges permanecem no claustro e estão sempre de plantão para receber visitantes que buscam orientação espiritual. Foto: Rubens Chiri 

O largo, a igreja e a história – O Mosteiro de São Bento fica no Largo São Bento, s/nº, centro. Séculos atrás, este local demarcava o limite do povoado que nele começava a se formar. Era ali também que ficava a taba do cacique Tibiriçá, sogro de João Ramalho.

Anos depois, o lugar onde estava instalada a taba passou a ser um largo, onde em 1598 foi construída uma capela em homenagem a Nossa Senhora de Montserrat. Em 1660, o Mosteiro de São Bento começou a ser construído, numa área pertencente aos beneditinos.

colegio e Faculdade São Bento

O tradicional Colégio e a Faculdade de São Bento também fazem parte do mosteiro. 

Sua igreja foi batizada com o nome de Nossa Senhora da Assunção e este é o seu nome até hoje, embora seja mais conhecida como a Igreja de São Bento. Em 1650, o bandeirante Fernão Dias fez generosas doações para a reforma e a ampliação do mosteiro – seus restos mortais estão depositados na cripta de seu interior.

Em 1864, o largo foi reurbanizado. Por sua vez, o antigo mosteiro e a igreja desapareceram em 1910, dando lugar a uma construção maior que foi iniciada em 1911 e concluída em 1922. Foi projetada pelo alemão Richard Berndl e sua decorada interior foi feita pelo monge beneditino holandês Dom Adelbert Gresnicht.

A última transformação do Largo São Bento ocorreu na década de 1970, com a construção de uma linha do metrô. O espaço passou então a abrigar um calçadão, bancos e graciosos jardins. Em seu subsolo funciona a Estação São Bento.

É nesta parada do metrô que você pode desembarcar numa viagem mágica para conhecer e vivenciar um capítulo relevante da história da cidade de São Paulo. No trajeto não deixe de observar o relógio externo alemão do mosteiro, considerado um dos mais precisos da capital paulista, enquanto aprecia o som de seus sinos que ecoam pontualmente a cada 15 minutos.

~ por Fabíola Musarra em Janeiro 11, 2016.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: