Itu, a terra do exagero. Tem aventuras na terra, na água e no ar

Itu, a terra do exagero

Conhecida como a terra do exagero, a cidade do interior de São Paulo abriga tesouros históricos e tem atrações para todo mundo.

Por Fabíola Musarra

Itu é uma das mais antigas cidades brasileiras. Fundada em 1610, foi um importante ponto de passagem de destemidos bandeirantes, que iam, vinham e seguiam pelo território tupiniquim em busca de ouro e riquezas ignorando totalmente o Tratado de Tordesilhas, o acordo firmado em 1494 entre Portugal e Espanha que dividia as terras descobertas e as por descobrir entre os dois reinos.

Igreja Nossa Senhora do Patrocínio, em Itu

A Igreja Nossa Senhora do Patrocínio, de 1820, tem teto e paredes pintados a óleo, uma técnica rara no período colonial.

Por este e por outros motivos, Itu guarda preciosos tesouros históricos da época colonial, do Brasil Império e dos primeiros anos da República. Distante cerca de 100 km da capital paulista, essa peculiar estância turística oferece ainda aventuras para todas as idades, incluindo um recém-inaugurado voo de balão, e um curioso desfile de enormes objetos em suas ruas.

Em Itu, tudo é tamanho gigante. Inclusive os pirulitos da foto.

Em Itu, tudo é tamanho gigante, inclusive os pirulitos da foto.

Sobretudo na praça principal, onde ficam dois divertidos ícones da cidade: um orelhão de sete metros de altura e semáforos gigantescos. Conhecida por seus pitorescos “postais”, o município onde “tudo é grande e maior do que em outras cidades” ganhou essa fama graças a um dos quadros que o humorista ituano Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, começou a protagonizar na Rede Globo em 1969.

Daí a cidade começar a explorar turisticamente o sucesso do programa na tevê foi um simples passo. Paulatinamente, as suas ruas passaram a abrigar lápis, cédulas falsas de dinheiro, escovas de dente… Todos de exagerado tamanho.

A bela Igreja Matriz de Itu

Finalizada em 1780, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária abriga um valioso acervo do barroco paulista.

Nem tudo na cidade, porém, se resume ao humor. Com quase 155 mil habitantes, Itu foi uma das vilas mais ricas de São Paulo no fim do período colonial graças à exportação do açúcar de seus engenhos de cana para a Europa na década de 1770, cultura que no século seguinte foi substituída pela produção de café, tornando a cidade ainda mais próspera.

Parte desta história pode ser conhecida no centro da cidade, nas ruas de seu entorno e na área rural, onde algumas fazendas de café dos séculos 18 e 19 recebem turistas, compartilhando com eles suas trajetórias históricas.

Flash Mob surpreende frequentares do Plaza Shopping Center, em Itu

O interior do moderno Plaza Shopping Center, em Itu.

Roma brasileira – Itu já foi chamada de Roma brasileira, tamanha a quantidade de templos católicos que possui. Eles são tantos e tão diferentes que existe até um tour, o “Itu pelas Igrejas”, oferecido pela agência Tombatur (www.tombatur.com.br), com guias especializados explicando o roteiro.

Mas esse passeio de volta ao passado também pode ser feito a pé, com uma caminhada pela praça central e ruas próximas. Ali está a Matriz de Nossa Senhora da Candelária. Finalizada em 1780, é uma das mais ricas da cidade. Possui importante acervo do barroco paulista, entalhes em ouro no altar e telas do pintor brasileiro Almeida Jr.

Itu tem tantas igrejas que ganhou o apelido de Roma Brasileira.

Pela grande quantidade de igrejas que possui, Itu ganhou o apelido de “Roma Brasileira”.

Já o teto e as paredes da Matriz, da Igreja do Patrocínio (1820) e da Igreja de Nossa Senhora do Carmo (1791) foram pintados a óleo, uma técnica rara no período colonial. As pinturas são de autoria do padre Jesuíno de Monte Carmelo, conhecido por sua arte sacra e por ser tema de um livro do escritor Mario de Andrade.

Também merecem a visita a barroca Capela de Santa Rita de Cássia (é a construção urbana mais antiga de Itu, de 1728), a Igreja de São Benedito (1910) e a Igreja do Bom Jesus, do século 18, com fachada inspirada na Catedral San Giovanni in Laterano de Roma, na Itália.

Cidade histórica, rica e opulenta, Itu conserva muitos edifícios construídos há séculos.

Cidade histórica, rica e próspera, Itu conserva diversos edifícios construídos há séculos.

Ainda no centro, as ruas Paula Souza e dos Andradas concentram diversos antiquários, onde é possível comprar objetos dos séculos 19 e 20. Também é na Rua Paula Souza que se encontram a Fábrica São Luiz (nº 492), primeira tecelagem a vapor do Estado, e o Museu da Energia (www.museudaenergia.org.br).

Instalado em um sobrado de 1847, o museu construído em taipa de pilão abriga um interessante acervo sobre a história da energia no País, com candelabros, lustres, vitrola, rádios e maquetes de casas equipadas nos padrões dos anos 1910, 1930 e 1950.

A Casa Imperial, arquitetura colonial em Itu

A Casa Imperial, um preservado solar onde viveram os barões de Itu.

Na Praça Dom Pedro, onde está o Cruzeiro de São Francisco, fica a Casa Imperial, um preservado solar do século 18 que recebeu a família imperial em 1884. Como é uma propriedade particular, somente é possível a visitação externa.

Outra atração está situada na antiga Rua Direita, por muito tempo única rua da cidade: o casarão onde hoje funciona o Espaço Cultural Almeida Jr. Foi construído pelos Barões de Itu na década de 1850 e, hoje, abriga o Museu de Arte Sacra, o Museu e Arquivo Histórico Municipal de Itu, a Biblioteca Municipal e a Secretaria de Cultura.

O belíssima Parque Maeda, nos arredores de Itu

O belíssimo Jardim Japonês, uma das atrações do Parque Maeda, nos arredores da cidade.

Adrenalina – Atração à parte de Itu, o Parque Maeda (www.parquemaeda.com.br) é uma opção para driblar calor e as elevadas temperaturas registradas este ano. Com clima de fazenda, o espaço oferece piscinas com toboáguas, brinquedos aquáticos, boia motorizada, pedalinho, pesqueiro, kart cross e passeios de teleférico, trenzinho e balão.

Recém-lançado, este último tem duração de duas horas e só é feito às sextas, aos sábados, domingos e feriados. As saídas acontecem às 6 h e 15 h, mas dependem das condições meteorológicas. Para embarcar na aventura é preciso agendar o voo pelo e-mail caca@voavoabaloes.com.br. Para os pequenos, o complexo oferece ainda passeios a cavalo e de pônei e carruagem, além de playground.

O voo de balão, novidade do Parque Maeda.

O voo a bordo de um balão, novidade do Parque Maeda.

O Jardim Japonês, as trilhas e os circuitos de arvorismo com tirolesas de 500 m completam as atrações do parque, que dispõe ainda de quiosques, lanchonetes, restaurante e de charmosos chalés onde é possível ficar hospedado. Boa diversão!

Anúncios

~ por Fabíola Musarra em Novembro 17, 2015.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: