O á-bê-cê paraibano

ImagemImagemImagemImagem

Por Fabíola Musarra

Férias,Carnaval… Hora de viajar. Entrar em um mundo novo, repleto de emoções e novidades. Conhecer a cultura, os costumes, o artesanato, a gastronomia e a natureza que imperam nesse novo universo. Conversar com os habitantes locais e descobrir que cada pedacinho de terra tem seu jeito único de viver. Afinal, isso é, para muita gente, o verdadeiro sentido de viajar. Voltar e trazer na bagagem muitas histórias, fotos, lembranças e, quase sempre, bastante saudade.

ImagemImagem

As diferenças entre os destinos são inúmeras. Curiosidades, nem me fale… Quer um exemplo? A Paraíba, no Nordeste, tem um gostoso modo de se expressar. Se você já esteve em João Pessoa, a capital da Terra do Sol Nascente; nas praias da Costa do Conde, no litoral sul, nas do litoral norte; em Bananeiras, no interior; em Campina Grande, famosa pela sua animada festa de São João; ou mesmo em qualquer outro cantinho desse lindo Estado brasileiro, certamente deve ter reparado nisso. Se você, porém, ainda não conhece a Paraíba, segue abaixo um dicionário paraibano, uma pequena amostra da riqueza e diversidade culturais do Brasil.

Abuticado: Diz-se dos olhos quando arregalados.

Acunhar: Aviar, executar determinada ação.

Amarrado: Sovina, mão-de-vaca.

Amuado: Emburrado, chateado. Também designa força ou intensidade (Eita calor amuado).

Amundiçado: Pessoa sem modos, sem educação.

Ariado: Desorientado, sem rumo.

Arisia: Bobagem, assunto sem importância.

Arretado: Algo ou alguém muito bom. Também significa estar com raiva.

Arripunar: Nojo, ânsia de vômito.

Arrochado: Pessoa de palavra, que faz o que promete.

Arrombado: Pessoa muito boa em determinada coisa que faz.

Arrudeio: Conversa preparatória que se tem antes de entrar no assunto principal.

Azilado: Pessoa sem eira nem beira, que não tem onde cair morta.

Azogado: Criança danada, que não pára quieta.

Bambo: Sorte, algo de bom que acontece sem que se espere.

Bigodete: Garoto no início da adolescência, adolescente.

Bigu: Carona.

Bixiga: Catapora, pessoa inteligente, pessoa má, situação complicada.

Boiar: Sobrar, frutas, carnes ou verduras que não foram vendidas na feira.

Brebote: Doces, biscoitos, guloseimas, pequenas comidas.

Butija: Tesouro escondido.

Cachete: Envelope de comprimidos.

Caçote: Sapo pequeno, garotinho.

Canguêro: Motorista ruim, que aprendeu dirigir há pouco tempo, inábil em alguma coisa.

Catraia: Prostituta de última categoria, mulher muito feia.

Catrevage: Feio ao extremo, quantidade de objetos, coisas, tralhas, etc.

Chamboque: Reboco, lasca, pedaço.

Cipuada: Pancada forte, batida, porrada.

Cruzeta: Pessoa difícil de lidar, intolerante, brigão, encrenqueiro.

Currulepe: Sandália de dedo feita de sola.

Disunerar: Desandar, estragar a comida, ter diarreia, colocar algo a perder.

Distrenado: Ficar sem jeito, envergonhado.

Empaxado: Quem não fez a digestão, de barriga cheia ou inchada.

Entojo: Gastura, ânsia de vômito.

Escacela: Pasta em que se colocam documentos, material escolar, etc.

Estribado: Rico, endinheirado.

Fiteiro: Pequeno comércio onde se vendem balas, cigarros, etc.

Folote: frouxo, folgado, fofo.

Frexero: Mergulho de cabeça.

Fubento: Poído, desbotado, muito usado.

Furnido: Forte, robusto.

Futi: Diabo.

Gaia: Cangalha, (botar) chifre.

Gastronomia da Paraíba - Nordeste - BrasilGastura: Inquietação, aflição, mal-estar.

Goiapada: Golada, beber o líquido de uma só vez.

Gôto: Engolir em seco, engolir saliva.

Guaribada: Improvisar, consertar, melhorar a aparência.

Guelar: Comer sem pagar, obter alguma vantagem à custa de outro.

Iapoi: Usa-se para dar uma confirmação (Visse o carro de Biu? Iapoi, bem  “novim”, né?).

Impaiá: Atrapalhar algo ou alguém.

Incréu: Ateu.

Incrinqulado: Enrugado, encolhido.

Incangado: Unido, pessoa que não se separa de alguém ou de alguma coisa.

Infitete: Pessoa que não merece confiança, aproveitador.

Inguiá: Engasgar, sentir vontade de vomitar.

Ingrisia: Coisa difícil de entender.

Insacar: Colocar a parte inferior da camisa para dentro da calça.

Intuado: Pessoa enraivecida, que nada a convence ou pessoa que canta afinado.

Istopô: Assombro, pasmo. Também usado para designar intensidade.

Intratante: Pessoa que promete e não cumpre, mentiroso.

Intrui: Desperdiçar água, comida ou qualquer outro tipo de coisa ou de alimento.

Inturido: Com prisão de ventre.

Lapiseira: Apontador ou lápis.

Juntada: Porrada, batida, cipuada.

Campina Grande - Paraíba - Brasil

Lachar: Rachar.

Leriado: Conversa fiada, miolo de pote.

Magote: Grande quantidade, ajuntamento de coisas.

Malamanhado: Maltrapilho, pessoa vestida de forma desarrumada.

Mangar: Rir da pessoa, caçoar, gozar.

Massada: Demorar, fazer esperar, atrasar.

Marmota: Pessoa desajeitada, mal-vestida, coisa mal feita.

Meiota: Meia garrafa de cana.

Melado: Bêbado.

Miaeiro: Cofrinho para guardar moedas.

Mói: Corruptela de “molho”, quantidade indeterminada (um mói de gente).

Muído: Situação que não se resolve nunca, impasse, coisa difícil.

Mundiça: Grupo de pessoas, pessoas sem etiqueta, mal-educadas.

Munganga: Careta, gesticulações cômicas.

Naigada: Pedaço, naco.

Artesanato da Paraíba

Ôxi: Corruptela de “Ó g ente e Óxente”, interjeição de espanto.

Pabulache: Contar vantagem, se achar.

Pantim: Trejeitos, gestos exagerados.

Pastorar: Cuidar, vigiar, tomar conta de.

Peba: Produto de segunda categoria, algo sem qualidade.

Peinha: Pequena porção, distância muito pequena (faltou uma peinha para o carro bater).

Peitiça: Polemizar, irritar, fazer questão de pequenas coisas.

Pipôco: Barulho, murro, porrada.

Pitôco: Botão de rádio,, de tevê, de ventilador, etc.

Poivar: Boca livre, beber ou comer de graça.

Presepada: Estripulia, confusão, atitude desonesta ou ridícula.

Puchavanco: Puxar com muita força, puxar de repente.

Quenga: Prostituta ou mulher de muitos homens.

Quengo: cabeça, crânio.

Rabissaca: Virar rapidamente o rosto para o lado em sinal de desdém ou de reprovação a algum tipo de proposta ou cantada.

Remanchoso: Pessoa que demora demais para fazer as coisas.

Ronceiro: Lento, preguiçoso.

Ronxa: A marca roxa que fica na pele após uma pancada, hematoma.

Bananeiras - Paraíba - BrasilRuma: Muita coisa, um monte de objetos ou pessoas, um bocado.

Sibite: Pessoa excessivamente magra.

Sustança: Força, saúde.

Talagada: Naco, pedaço, fatia.

Toitiço: Parte posterior da cabeça, nuca.

Torar: Quebrar, romper, cortar, transar (torei uma nega ontem).

Trepeça: Pessoa que atrapalha ou aborrece outra, algo feio ou de má qualidade.

Troço: Coisa ou pessoa imprestável.

Tronxo: Torto, desaprumado.

Tuia: Certa quantidade de alguma coisa (geralmente de merda).

Varei/Vôte: Interjeições de espanto (Varei-te).

Visse: Corruptela de viste.

Xexeiro: Ladrão, pessoa que furta algo,ou que deve e não paga.

Xiringar: Verter água, marejar, gotejar.

~ por Fabíola Musarra em Janeiro 29, 2014.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: