Sobre a integração de rios e cidades

Lançada na Bienal do Livro de São Paulo, essa obra discorre sobre a relação entre os rios e as cidades e apresenta propostas de recuperação ambiental para os trechos fluviais urbanos

Por Fabíola Musarra

Rios e cidades – Ruptura e reconciliação Maria Cecília Barbieri Gorski, Ed. Senac-SP, 300 págs., R$ 65.



A obra conta como o desenvolvimento dos centros urbanos provocou a deterioração de rios e córregos, sobretudo a partir da segunda metade do século 20, quando muitos deles entraram em processo de degradação, ocasionado principalmente pela má utilização e pela poluição das cidades.

É possível reintegrar os rios das cidades e conciliar natureza e desenvolvimento? Partindo desse questionamento e baseada em suas experiências profissionais como arquiteta e nos projetos que desenvolveu no Brasil e no Exterior, a autora responde a essa indagação neste livro, que é dividido em duas partes.

Na primeira metade, Maria Cecília contextualiza a importância dos rios na implantação de núcleos urbanos e a posterior ruptura na relação cidade-rio, apontando as decisões equivocadas e insustentáveis adotadas no período. Ela discorre ainda sobre os movimentos mundiais de recuperação ambiental e explica o surgimento, o desenvolvimento e a importância preservacionista deles.

A segunda parte é dedicada à análise de casos e à comparação entre os projetos de recuperação de rios, como o plano de recuperação do Rio Don, em Toronto (Canadá); do Rio Los Angeles, em Los Angeles (EUA); do Rio Anacostia, em Washington (EUA); do Mangal das Garças, em Belém do Pará, no Pará; e do Rio Piracicaba e da microbacia do Rio Cabuaçu de Baixo, ambos no Estado de São Paulo.
Conforme a própria autora argumenta na obra, a comparação entre os casos permite a obtenção de referências relevantes para a realização de novos projetos nessa área. Por último, Maria Cecília se aprofunda na análise de três questões – como reintegrar os rios às cidades, a melhor forma de conciliar natureza e urbanismo e quais os projetos executados nos últimos 15 anos que serviriam como referências futuras.
Enfim, mostra os desafios ao futuro dos rios e sua inserção no meio urbano brasileiro, apresentando propostas de recuperação ambiental que envolvem uma nova concepção de urbanidade. A obra conta como o desenvolvimento dos centros urbanos provocou a deterioração de rios e córregos, sobretudo a partir da segunda metade do século 20, quando muitos deles entraram em processo de degradação, ocasionado principalmente pela má utilização e pela poluição das cidades.

~ por Fabíola Musarra em Dezembro 8, 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: