Guararema – A morada de São Longuinho

No Vale do Paraíba, a cerca de uma hora da capital paulista, Guararema é considerada a pérola da região do Alto do Tietê. Em seus domínios encontra-se um dos mais conceituados orquidários nacionais, a exótica e intacta vegetação da Mata Atlântica e o deslumbrante Paraíba do Sul, um dos rios mais limpos do mundo. Todos vigiados de perto pela única imagem de São Longuinho existente no País. 

Por Fabíola Musarra

Aninhada aos pés da Serra da Bocaina, a pequenina Guararema, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, é cheia de encantos e recantos exuberantes, a começar pelo rio que banha a cidade: o Paraíba do Sul. Formado pela junção dos rios Paraitinga e Paraibuna, o curso do rio que deságua em São João da Barra (RJ), caprichosamente desenha no solo uma curva semelhante a um cotovelo, abraçando toda Guararema. Na prática, isso significa que em quase todos os pontos da cidade, o Paraíba do Sul pode ser visto. De escandalosa beleza, suas águas verdes  e despoluídas é o lar de peixes,  como a piaba, a piabanha, o piau e o curimbatá.

 

Plantas, flores multicoloridas, árvores centenárias e muito verde acompanham o trajeto do rio de 1.058 metros de extensão, dividindo o imperdível cenário com animais silvestres, como as capivaras que ainda por ali habitam. Entre as várias ilhas que o Paraíba do Sul possui, destaque para a Ilha Grande. Inaugurada em 2004, é um dos pontos altos de Guararema.

Com moderna infraestrutura, possui uma pista de 400 metros às margens do Rio Paraíba, onde é possível fazer caminhadas e cooper. Por falar nisso, lá funciona o projeto Bom Dia Saúde, um projeto que possibilita que os frequentadores do parque que desejem fazer atividades física sejam acompanhados por um especialista em educação física. O parque funciona diariamente, das 6 horas à meia-noite.

Outras atrações da cidade são o Parque da Pedra Montada e o Recanto do Américo, mais conhecido como Pau D’Alho. O primeiro foi batizado com este nome devido a uma escultura lapidada pela natureza ao longo dos séculos – na realidade uma pitoresca sobreposição de pedras, cada uma medindo cerca de 9 metros de comprimento por 2,5 metros de altura. Possui restaurante, fica na Estrada Municipal Hércules Campagnoli, km 8, Putim.

Já o segundo é um dos principais cartões-postais da cidade. O privilegiado cenário de belezas naturais abriga a bicentenária árvore Pau D’alho, com mais de 30 metros de altura e 12 metros de diâmetro, além de uma variada concentração de espécies de mata nativa, remanescentes da Mata Atlântica. Suas pontes interligam a praça às ilhas, possibilitando que o visitante tenha acesso a diferentes pontos sobre as águas do Rio Paraíba do Sul. Fica no centro, na Rua Coronel Ramalho, s/nº.

Poucos metros adiante, fica a Igreja Matriz. Ela divide o espaço com uma feira de artesanato que acontece aos sábados, domingo e feriados. Também é desta praça que um divertido trenzinho leva as crianças de todas as idades, incluindo as da terceira, para percorrer as principais ruas do município paulista de menos de 30 mil habitantes. O passeio é somente  nos finais de semana e feriados e dura cerca de 30 minutos. O ingresso dá direito aos “tripulantes” a avistar o pontilhão da Central do Brasil, desativado na década de 70. Em frente à estação de trem, fica a ponte de ferro. De origem inglesa, sua arquitetura merece ser conhecida.

Além da Matriz, duas outras igrejas devem ser visitadas: a de Nossa Senhora da Escada e a de Nossa Senhora D’Ajuda. A primeira é tida como a construção histórica mais antiga do Vale do Paraíba. Foi edificada pelos os frades capuchinhos em 1652 em louvor a Nossa Senhora da Escada, pois diziam que havia uma escada entre a barragem do rio e o lugar onde se ergueu a capela.

Na realidade, aproveitando-se da crença dos indígenas – acreditavam que teriam fartura e reencontrariam seus ancestrais na vida pós-morte se fossem enterrados ao lado de um cesto e uma escada –, os missionários adaptaram a imagem de Nossa Senhora da Conceição para Nossa Senhora da Escada, impondo assim a sua a religião aos índios catequizados que ali viviam.

 

Em 1732, os jesuítas foram expulsos da então da Capitania de São Vicente e a administração do Arraial da Escada foi entregue aos franciscanos, que construíram uma nova capela onde hoje se encontra a atual Igreja. Com arquitetura tipicamente barroca e paredes construídas em taipa de pilão, foi tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional em 1941. É a única Igreja do Brasil que possui a imagem de São Longuinho, conhecido popularmente como o santo das coisas perdidas. Fica no bairro da Freguesia da Escada, a 3,5 quilômetros do centro da cidade.

Já a Igreja Nossa Senhora D’Ajuda foi construída em 1682 em uma colina e para conhecer seu interior é preciso escalar 81 degraus. Foi núcleo religioso das fazendas próximas, servindo também de cemitério, enterrando-se os brancos no interior do templo e os escravos atrás. A capela possui uma imagem de Nossa Senhora D’Ajuda, em terracota, provavelmente de origem portuguesa. É uma das construções coloniais mais antigas no Estado de São Paulo, foi tombada como monumento de interesse histórico em 1984.

Guararema é uma cidadezinha extremamente limpa – não se vê lixo nas ruas nem no rio. Seus parques são mantidos com capricho e repletos de flores Por falar nelas, Guararema é também conhecida como a Cidade das Orquídeas devido ao seu orquidário. Fundado por Roberto Giorchino na década de 70, o Orquidário Pérola do Vale (mais conhecido por Orquidácea) é considerado pelos amantes das orquídeas como um dos melhores do Brasil. Sua produção é estimada em 150 mil mudas por ano de variadas espécies, das mais comuns às mais raras, passando por aquelas que demoram até sete anos para florir pela primeira vez. Percorrer seu interior, é uma atração imperdível.

Embora pequenina, Guararema é sedutora e cheias de encantos. Em seus recantos, esconde muitos tesouros, os quais vale a pena desvendar.

 SE ACHAR, DOU TRÊS PULINHOS

Quem não conhece essa pequena simpatia feita a São Longuinho, o santo que ajuda a encontrar coisas perdidas? Sua história, porém, não é muito conhecida, talvez por ele não ser muito bem visto pela Igreja católica. Dizem que São Longuinho foi o soldado romano que fincou a espada no peito de Jesus, quando ele estava pregado na cruz. Essa versão, porém, é refutada por alguns, que afirmam que o soldado teve este gesto para aliviar a dor que Cristo sentia (a morte na crucificação é bem lenta e muito dolorosa).

Poucos sabem também que o soldado romano perdeu as duas pernas em uma batalha. Daí, o motivo de se dar os três pulinhos quando se encontra algo que se havia perdido – os pulos seriam uma espécie de homenagem ao santo. Dizem ainda que o santo, após ter ferido Jesus, teria ficado muito arrependido. Cheio de remorsos, converteu-se ao cristianismo. E, como a fé não costuma falhar, por sua devoção, São Longuinho, embora fosse totalmente cego, passou a encontrar os objetos perdidos, ganhando milhares de devotos por todo o Brasil.

Histórias à parte, a imagem de São Longuinho foi encontrada na Igreja de Nossa Senhora da Escada nos idos dos séculos 18 e 19 (ninguém sabe a data ao certo). Sabe-se, contudo, que a imagem era do santo porque o nome dele estava escrito num pedaço de juta. De qualquer modo, a crença em São Longuinho sobreviveu aos séculos e atualmente é um dos santos mais populares do Brasil. Aliás, onde foi mesmo que coloquei as anotações que fiz para escrever este texto? Socorro, São Longuinho, me ajude!

VOCÊ SABIA?

Quem nasce em Guararema é guararemense. E que o município é conhecido nacionalmente como A Cidade das Orquídeas, em função das lindas e raras espécimes ali cultivadas.

Guararema surgiu a  da doação de um pedaço terra feita em 1875 por Laurinda de Souza Leite a uma ex-escrava Maria Florência. Situado às margens do Rio Paraíba, o lote ficava em lugar plano, distante uns seis quilômetros do Arraial da Escada, pouco acima do ribeirão Guararema. Movida pela fé, Maria Florência construiu no terreno uma capela para o santo de sua devoção, São Benedito (ao lado de Nossa Senhora da Escada, ele é o padroeiro da cidade). Com o tempo, outros moradores foram se fixando nos arredores da capela, formando-se um vilarejo que recebeu o nome de Guararema. Em tupi-guarani, significa pau d’alho, árvore de madeira fedida.

Segundo a Fundação Seade e o Instituto do Legislativo Paulista da Assembleia Legislativa dos Estado de São Paulo, Guararema é o segundo município mais rico da região do Alto do Tietê, perdendo apenas para Arujá. A pesquisa considera os 645 municípios do Estado de São Paulo e é elaborada com base nos indicadores sociais de cada um deles.

SERVIÇO

Onde ficar – Guararema Parque Hotel, Rua D’Ajuda, 438, tel. (11) 4693-8800, reservas: (11) 4693-8904, site: www.guararemahotel.com.br

 

~ por Fabíola Musarra em Março 6, 2010.

11 Respostas to “Guararema – A morada de São Longuinho”

  1. Eu Amo são longuinho tudo que eu pesso ele encontra,gostaria muito de ter uma imagem dele bjsss

    • Sandra, sinceramente não sei coo você pode comprar a imagem de São Longuinho. Em Guararema, há algumas lojas que vendem a imagem e medalhas do santo. Infelizmente, não tenho o telefone de nenhuma delas (creio que essas lojas te enviariam a imagem, caso você comprasse). Talvez as meninas da MB Turismo (nos telefones e e-mail acima) possam te passar o nome e o número do telefone das lojas. Foram elas que me levaram até as lojas.
      Boa sorte!

  2. […] DO SITE https://fabiolamusarra.wordpress.com/2010/03/06/guararema-a-morada-de-sao-longuino/ FACA UMA […]

  3. Como posso fazer para ter uma medalha desse Santo, a quem eu tanto admiro, moro no Recife, e por aqui não há tal artigo. Peço como devoção à São Longuinho que ele possa me ajudar a encontrar a medalha com sua imagem, que tanto desejo.

    • Sinceramente, não sei como você pode comprar a imagem de São Longuinho. Em Guararema, há algumas lojas que vendem a imagem e medalhas do santo. Infelizmente, não tenho o telefone de nenhuma delas (creio que essas lojas te enviariam a imagem, caso você comprasse). Talvez as meninas da MB Turismo (nos telefones e e-mail citados no final do texto) possam te passar o nome e o número do telefone das lojas. Foram elas que me levaram até as lojas.
      Boa sorte!

  4. Eu tambem gostaria de

  5. moro em são paulo, como faço para chegar no restaurante que serve o pintado na folha com farofa ?

    • Edna, de que Estado(texto) você está perguntado?
      Visitei alguns restaurantes do Nordeste que servem este prato. Precisaria saber melhor sobre o que você está se referindo para que eu possa te responder. Abç

  6. Fabiola agora na igreja onde fica São Longuinho tem uma lojinha e la voce pode encontrar

    • Christiane, recentemente estive em Guararema para fazer uma outra reportAgem lá e peguei o endereço da loja. Ela chama-se Angola Angola e seu endereço é:Rua Basílio Leite de Siqueira nº 52, bairro Freguesia da Escada, tel. (11) 4693-5623.
      Obrigada pela dica.

  7. adorei a informação em breve irei conhecer guararema

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: